quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Cientistas russos encontram base nazista no Ártico


À medida que o Oceano Ártico derrete e as águas não congelam o ano todo, os segredos escondidos no gelo são lentamente expostos. Um desses segredos reapareceu em agosto passado (2016) quando uma estação climática nazista do tempo da Segunda Guerra Mundial foi redescoberta por cientistas russos numa ilha, a somente 1.000 km do Polo Norte.  Seu nome – Caçadora de Tesouros – sugere que os nazistas estavam procurando por algo mais do que somente previsões climáticas ou uma localização conveniente para atacar os Estados Unidos, a Europa e a Rússia, vindos do norte.
O que estariam eles procurando?
Teriam eles encontrado o que procuravam?

Terra Alexandra é uma das ilhas Franz Josef
Schatzgräber, ou Caçadora de Tesouros, está localizada na Terra Alexandra, uma ilha de 1.050 quilômetros quadrados descoberta pelo navegador russo Valerian Albanov, e batizada em homenagem à Grande Duquesa Alexandra Pavlovna da Rússia.

A principal característica da pequena ilha na época era uma população isolada de ursos polares que geneticamente diferentes dos animais nos continentes.  Embora agora seja parte da Rússia e possua uma base militar, sua posse tem sido disputada desde sua descoberta – primeiro pela Noruega, devido à sua proximidade das áreas baleeiras; mais tarde pelos EUA, devido à sua proximidade ao petróleo e aos minerais do Ártico.



E então vieram os nazistas, os quais ignoraram todas as disputas e simplesmente tomaram a ilha em 1942 para montar uma suposta estação climática. Ela foi uma das poucas ilhas que não estavam ocupadas pelas forças Aliadas para o monitoramento climático e a viabilidade de águas abertas no Oceano Ártico para a atividade naval.  De acordo com a história oficial, os homens que lá ficavam recebiam suprimentos por paraquedas, mas em 1944, quando as coisas ficaram piores para o Terceiro Reich, eles foram forçados a comer carne de urso polar.  Eles contraíram a triquinose e tiveram que ser resgatados por um submarino, retornando a ilha aos ursos polares.



Embora a história da base seja bem conhecida, ela nunca foi explorada novamente até este ano, em agosto, quando pesquisadores russos retornaram para encontrar muitos artefatos nazistas após o derretimento do gelo.

A reportagem da PolitRussia incluiu aqueles prédios abandonadas, galões de gasolina, munições e documentos bem preservados.  Espera-se que estes documentos revelem o maior segredo de todos… por que a base era chamada de Caçadora de Tesouros?



A exploração da Antártica (e não do Ártico) – com ou sem a ajuda do Almirante Byrd – recebe toda a atenção, mas talvez os nazistas estavam também procurando no outro polo por OVNIs, artefatos alienígenas e tesouros de outro mundo, para fornecê-los a tecnologia que achavam necessária para vencer a guerra e dominar o mundo.  O que mais eles estariam procurando numa ilha congelada guardada por ursos polares?

Teriam os nazistas encontrado o que procuravam neste remoto posto avançado do Ártico?  Bem, eles não venceram a guerra, e pode ter sido muito tarde para eles. É óbvio que eles esconderam seus ‘tesouros’ muito bem, pois abrigos secretos e túneis ocultos ainda estão para ser descobertos, e a procura continua por supostos tesouros, como o trem carregado com ouro, o qual dizem ter sido enterrado na Polônia.

Os artefatos já descobertos em Schatzgräber estão sendo transportados para a cidade de Arkhangelsk (Arcanjo), no norte da Rússia, para análise.

Fonte: OVNI Hoje

0 comentários:

Postar um comentário