loading...

quinta-feira, 2 de março de 2017

Descobridor das pirâmides da Bósnia diz ter encontrado ‘campos de torção’ de Tesla nas pirâmides


Dr. Semir Osmanagić, o descobridor das pirâmides da Bósnia, explica que fez outra fascinante descoberta que não só muda a história do continente europeu, mas também de todo o planeta.  A descoberta de ondas de Tesla no topo da Pirâmide do Sol na Bósnia – as quais acredita-se viajam mais rápido do que a velocidade da luz sem perder potência ao passarem pelos corpos cósmicos  – prova a existência de algo referido como uma Internet Cósmica, a qual permite a comunicação intergaláctica imediata através do Universo, escreve o Dr. Osmanagić.
Fenômenos energéticos registrados acima da Pirâmide do Sol em Visoko indicam uma definição diferente de uma pirâmide, comparada às explicações convencionais e dogmáticas. As pirâmides são amplificadores de energia que enviam e recebem informação através do Sol.

Uma Internet cósmica?
Para muitos outros pesquisadores, dentre os quais o mais proeminente é Nikola Tesla, ondas escalares, ou ondas imóveis, criadas na interação de campos de torção, estão viajando a velocidades mais altas do que a da luz. Estima-se que sejam 10 bilhões de vezes mais rápidas do que a luz.  Assim, os campos de torção podem se mover através de qualquer corpo cósmico (planetas, estrelas) sem desperdiçar energia. Isto significa que elas são capazes de viajar a grandes velocidades, transferir informação/energia, e que não há perda de qualidade e quantidade de informação. (Fonte)

A condição ideal é a de ter nas duas pontas dois produtores (geradores) de energia, que estão se comunicando mutuamente através dos Campos de Torção de Tesla (ondas). A transferência de informação é quase instantânea entre as duas partes distantes do Cosmos, e a informação não perde sua qualidade durante a transferência. (Fonte)

A pirâmide é a mais poderosa de todas as formas geométricas em termos de energia. Se localizado sobre um ponto de energia potente, a pirâmide se torna um amplificador de energia.  Sob a Pirâmide do Sol da Bósnia, há placas e ferro (gerando um campo eletromagnético), fluxo subterrâneo de água (liberando íons negativos), e um segundo fluxo subterrâneo de água mais profundo criando eletricidade, junto com o de cima.  Também, encontramos um magnetismo natural, energia orgônica.

Estes fenômenos de energia podem ser mensurados com nossos instrumentos científicos. Mas, como podemos mensurar o fenômeno energético para o qual ainda não desenvolvemos os instrumentos científicos?
Na superfície da Pirâmide do Sol da Bôsnia, durante as escavações arqueológicas, encontrarmos muitos cristais. O cristal está presente nos túneis também, e provavelmente abaixo da pirâmide.
Sabe-se que cristais de quartzo recebem e então amplificam energia. Cavidades ou túneis subterrâneos podem otimizar a energia.

O arranjo espiral de sete níveis de túneis abaixo das pirâmides induzem à aceleração do movimento energético e amplifica sua intensidade. O pesquisador finlandês Mike Virpiranta descobriu que 26 linhas vulcânicas que vão em direção da Pirâmide do Sol na Bósnia.

Além disso, se a pirâmide estiver localizada na linha que conecta dois vulcões, então a estrutura fica sobre a linha vulcânica.  No caso das pirâmides da Bósnia, até 15 das 26 linhas têm três, quatro ou cinco vulcões posicionados na mesma linha.

Este fator novamente mostra a importância da localização das pirâmides em Visoko, porque os vulcões são fontes de energia: lava, ferro, cristais, e minerais, escreve o Dr. Osmanagić.
Além disso, se observarmos as posições precisas da série de pirâmides em Visoko (triângulo equilátero entre a Pirâmide do Sol, da Lua e do Dragão; outro triângulo entre a Pirâmide do Amor, da Terra e da estrutura Fojnica) e observarmos elementos da geometria sagrada (Flor da vida, fórmula de Fibonacci), notamos que toda a área foi projetada para criar um complexo de energia muito poderoso, ao qual nos referimos como o Vale Bósnio das Pirâmides.

As bordas originais são algo que provavelmente nunca saberemos.
Além disso, o fluxo de energia costumava ser muito mais intenso no passado. Nosso planeta já foi mais forte e mais saudável durante o final da última Era do Gelo, por volta de 12.000 anos atrás.
Há uns quinze anos, escrevi sobre o papel dos antigos maias como “mantenedores do tempo cósmico” em livros e sobre a civilização cuja meta era a de harmonizar a frequência do planeta com a do Sol.  Na época, minha hipótese foi tomada pelos editores da Wikipedia e eles a usaram como ‘argumento para me descreditar’. – Dr. Osmanagić.
Minha pequisa e meus argumentos de que as pirâmides foram construídas pelo mundo todo, e que as pirâmides mais velhas também são as mais superiores, levou a situações onde os egiptólogos criaram um muro de hostilidade contra mim.
Minha afirmação de que a Pirâmide do Sol na Bósnia é a pirâmide mais velha do mundo trouxe uma reação do egiptólogo mais influente no planeta – tem Zahui Hawass, que tem feito muito para restringir o acesso aos principais canais científicos de TV.
Nossa evidência aponta para o fato que o concreto mais velho e da mais alta qualidade na Terra pode ser encontrado na Pirâmide do Sol, e a existência da maior rede de túneis pré-históricos, tem resultado em petições por escrito, enviadas à Associação Arqueológica Européia, contra nossa pesquisa.
Porém, o tempo e argumentos científicos confirmam que estamos certos e que eles estão errados, escreve o Dr. Osmanagić.
Mas não são só os livros de história que estão errados, estamos sendo ensinados de forma errada, ou melhor, programados de forma errada em todas as áreas básicas do conhecimento.

O Dr. Osmanagić argumenta que os físicos, astrônomos e geólogos insistem que o Universo foi criado como resultado do Big Bang, e que hoje o Universo está se expandindo rapidamente.  Os biólogos continuam a apoiar o Darwinismo e dizem que a vida surgiu de matéria inorgânica, que a evolução causa o desenvolvimento das espécies vivas, e que o homem descende dos macacos.
Eles estão errados, indica o Dr. Osmanagić.
A vida originou graças à uma intervenção no nosso planeta; espécies da Terra mudam ao longo do tempo através de experimentos onde a evolução tem um papel mínimo, e o Homo sapiens é o resultado de engenharia genética.

Fonte: OVNIHoje

0 comentários:

Postar um comentário

Custom Search