loading...

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Delator abre o jogo a respeito dos reptilianos, nórdicos, nazistas, OVNIs, e frota espacial dos EUA


William Tompkins é um dos delatores mais credíveis a se manifestar. A profundidade e implicações de seus testemunhos são impressionantes. Mas é claro, sempre haverá aqueles que se recusam a acreditar em sua história, já que ele é um delator da realidade extraterrestre.

William Tompkins. Crédito: Search4TruthReality

Tompkins alega ter sido parte de uma operação envolvendo espiões da Marinha dos EUA que roubavam projetos de naves e segredos tecnológicos antigravitacionais dos nazistas durante o auge da Segunda Guerra Mundial.

Ele diz ter pessoalmente distribuído alguns dos segredos roubados como ‘pacotes de informações’ para os CEOs das corporações importantes dos EUA, envolvendo os militares e a indústria espacial.  Além disso, Tompkins diz ter trabalhado ao lado de ETs – alienígenas nórdicos que não diferem de humanos em sua aparência, e que estavam trabalhando como seus secretários.

Além disso, ele revela que os nazistas já tinham naves operacionais durante a guerra, e devido as informações que os espiões dos EUA foram capazes de obter, aquele país mais tarde desenvolveu sua própria esquadrilha de naves (discos voadores) – as quais foram sugadas pela esfera militar negra, sob o controle de MJ-12 (também conhecido como Majestic 12), um grupo ultra secreto que foi iniciado na década de 1949, a fim de ‘gerenciar’ a questão dos OVNIs/alienígenas.

Os nazistas, os videntes e os reptilianos
Para compreender esta história e colocá-la no contexto histórico, temos que ir de volta para antes da Segunda Guerra Mundial. Você pode ter escutado a respeito das Sociedades Secretas que existiam por volta da ascensão de Hitler e dos nazistas, tais como a Sociedade Thule e a Sociedade Vril.

Uma jovem mulher extremamente talentosa, Maria Orsic [uma vidente], teria conseguido fazer contato com uma civilização alienígena e canalizado informações deles.  É reportado que uma dessas civilizações era do planeta Aldebarã, que está localizado no sistema Touro.

Maria Orsic – vidente alemã.

De acordo com Tompkins, os nazistas estavam em contato com reptilianos extraterrestres no mesmo momento em que Maria Orsic estava canalizando. Hitler descobriu sobre Maria Orsic, suas habilidades e o fato dela estar recebendo informações sobre como construir naves.

Novamente, de acordo com Tompkins, Hitler permitiu que Orsic (e os nórdicos com quem a mulher estava trabalhando) continuasse seu trabalho em seu programa de naves, porque os nazistas já estavam em contato com os reptilianos – e porque Hitler sabia que poderia sempre tomar o projeto de Maria Orsic na hora que quisesse.

Robert, Wood, que foi entrevistado junto com Tompkins pelo Search4TruthReality (parte 1, parte 2 e parte 3), alega que a tecnologia nazista rapidamente avançou devido ao seu relacionamento com os reptilianos, de forma que eles realmente chegaram no lado oculto da Lua antes do final da Segunda Guerra.
Robert Wood. Crédito: Search4TruthReality

Wood é um veterano perito no campo dos OVNIs, tendo recebido a tarefa no início de sua carreira (quando ele estava trabalhando para a empresa Douglas) de analisar como os OVNIs funcionavam. A ele foram dados US$ 500.000 para disseminar os documentos OVNI e US$ 250.000 para fazer um documentário sobre os OVNIs.
Mais tarde Robert Wood e seu filho Ryan digitalizaram centenas de documentos MJ012 e os disponibilizaram em seu site MajesticDocuments.com.

A Batalha de Los Angeles: Em 1942 foi onde tudo começou para Tompkins
Agora, vamos para 1942, onde a história começou para Tompkins. O mundo está exatamente no meio da Segunda Guerra Mundial. Os 2 brutais ditadores Hitler e Stalin estão comandando exércitos engajados em longas batalhas com grandes fatalidades em ambos os lados.
Enquanto isto, sem o conhecimento da população mundial, exceto por algumas pessoas que estavam por dentro da situação, os nazistas estavam aprofundados num projeto secreto de naves (discos voadores).


Várias fotos dos discos voadores nazistas Haunebu I e II; a foto colorida pode ser um protótipo do primeiro
modelo. Tendo obtido planos e croquis de um grupo de mulheres videntes (uma das quais era Maria Orsic),
os nazistas já tinham uma nave operacional, tal como o Haunebu.  (imagem acima).
Durante tudo isso, quase do outro lado do mundo, em 24 e 25 de fevereiro de 1942, OVNIs voam acima da cidade de Los Angeles por horas.
Tompkins, que ainda era um garoto estudando no ensino secundário, assiste os OVNIs a noite toda. O incidente mais tarde ficou conhecido como a Batalha de Los Angeles.
Várias semanas mais tarde, ele é tirado da escola para trabalhar com os militares, e sua vida toma um rumo completamente diferente.
Foto real da ‘Batalha de Los Angeles’.

William Tompkins fica próximo do segredo dos ETs
De acordo com o próprio Tompkins, ele foi recrutado quando ainda jovem pela Marinha, devido à sua habilidade precoce de construir modelos de navios altamente precisos.  Após trabalhar na North American Aviation e na Northrop, ele foi contratado pela Douglas Aircraft Company, em 1950. Lá trabalhou como desenhista sob um grupo parcialmente controlado pela equipe da Marinha, que costumava trabalhar para James Forrestal, Secretario da marinha de 1944 a 1947, e Secretário de Defesa de 1947 a 1949, um homem que também apoiou JFKennedy e que pode ter sido responsável pelo interesse que JFK teve mais tarde pelos OVNIs. Dizem que Forrestal pulou ou caiu de uma janela alta, e assim morreu sob circunstâncias suspeitas. Parece que ele sabia demais e tinha sido eliminado porque foi contra a agenda prevalente da Nova Ordem Mundial a respeito da questão alienígena.

Aparentemente, Forrestal foi contatado pelos ETs.  Forrestal escolheu o Almirante Rico Botta, que por sua vez escolheu William Tompkins.
Tanto Forrestal quanto Botta foram guiados para escolherem alguém abaixo deles que fosse aberto à realidade extraterrestre, alguém que poderia encarar a verdade (colossal).

O começo do MJ-12
Em entrevistas, tais como no Projeto Camelt (parte 1 e parte 2), e em seu livro Selected by Extraterrestrials (Selecionado por Extraterrestres), Tompkins revela muito de sua história. Ele explica como o grupo ultra secreto MJ-12 começou – não foi em 1947, após o incidente de Roswell, como muitos imaginam.
Tompkins explica que o grupo na verdade começou em 1942, com o sênior Douglas (o homem que começou a empresa Douglas).
Tompkins disse que logo após a Batalha de LA, em 1942, para conseguir gerenciar as implicações dos OVNIs estarem se mostrando abertamente nos céus, Douglas convocou alguns elementos chave para constituir o grupo que mais tarde se tornou o MJ-12. O grupo incluía 2 almirantes e 2 generais, um dos quais era Curtis LeMay – outro homem que não gostava de JFK e que, durante a Guerra Fria, estava preparado para lançar um ataque nuclear surpresa contra a União Soviética.
Robert Wood declara que o MJ-12 era, pela maior parte, associado à Força Aérea, não a outros ramos das forças armadas dos EUA.

Roubando secretos nazistas 
Durante a Segunda Guerra Mundial, os espiões da Marinha dos EUA estavam incrustados dentro das forças militares nazistas. Ele podiam acessar dados (inclusive fotos) dos ‘OVNIs’ nazistas e passar as informações de volta aos EUA.
Tompkins explica como a informação passou pelo seu superior, Rico Botta, que escolheu uma maneira genial de lidar com o assunto: não classificando essa informação como sendo secreta. Se ele tivesse dado a ela uma classificação ultra secreta, ou outra classificação alta, ela teria atraído as atenções.  Assim, ele escolheu não classificá-la. Esta é uma técnica conhecida como ‘escondendo a verdade a plena vista’.
Tompkins foi designado para entregar os pacotes que continham esta informação para os CEOs e líderes de corporações militares particulares. Infelizmente, os pacotes não continham bons desenhos e croquis da tecnologia nazista e tinham muito pouca informação técnica.  Eles até mesmo continham hieróglifos (não em alemão), já que os espiões acessavam a informação canalizada que vinha de Maria Orsic.
De acordo com Wood, a Marinha dos EUA começou seu programa de engenharia reversa de OVNIs em 1942 (com a permissão de Forretal) antes do MJ-12 existir.  A Marinha demorou por volta de uma década para produzir uma nave funcional, mas eles finalmente conseguiram.
Tompkins entrou para a TRW, uma empresa com um importante grupo de pensadores que foi formada por volta de 1958-59, de acordo com ele. Ela também originou de um grupo de pensadores da Douglas (bem como foi a MJ-12). Ela contava com financiamento ilimitado. Northrup emprestou dinheiro através da TRW.
Eles também compraram a empresa de construção de navios da Marinha, a qual construía porta-aviões – assim eles poderiam ter seus engenheiros analisando porta-aviões de 240 metros, para que pudessem projetar uma nave espacial ‘porta-naves’ de 1 km.

A Lua é o centro de comando
Em várias entrevistas, tais como com Jeff Rense, Tompkins apresentou sua teoria de que a nossa Lua não é um objeto natural, mas sim artificial e trata-se de um centro de comando. Isto bate com o que outros pesquisadores, tais como David Icke, já alertaram a respeito.

Nossa Lua não gira, e também nenhuma das luas de outros planetas. A física convencional explica isto devido a um tipo de trava gravitacional, mas seria porque estes objetos artificiais estariam escondendo algo em seus lados ocultos que não estão de face para seus planetas anfitriões?
Tomkins declara que quando os primeiros astronautas foram até a Lua, eles ficaram chocados em descobrir que ela já estava ocupada – por reptilianos draconianos. Ele diz que os reptilianos, de mais de 2,7 metros de altura, estavam em pé ao lado de suas naves avançadas.

Ele faz piadas a respeito disso, dizendo que os reptilianos nos “mostraram o dedo” (como num ato não amigável). De acordo tanto com Tompkins quanto com Wood, os reptilianos já haviam feito um acordo com os nazistas.

Espantosamente, o próprio Tompkins alega ter visto estruturas antigas no lado oculto da Lua e que viu uma prédio flutuando a 2,4 quilômetros acima da superfície lunar.
Para Tompkins, todo a missão Apolo 11 foi uma encenação. Todos os astronautas eram maçons. Ele declara que os maçons colocaram uma plaqueta na Lua primeiro, então voltaram num módulo para o espetáculo do “Neil Armstrong”. Talvez Armstrong deveria ter dito: “Um pequeno passo para o Homem; um passo gigante para a Maçonaria.”
Finalmente, Tompkins se aprofunda na conspiração, dizendo que no final não somos donos do nosso próprio planeta; ele é um laboratório de ETs avançados para conduzirem experimentos em nós.

Reptilianos controlam os governos do mundo
Tompkins diz que, embora existam muitas espécies de ETs interagindo com a humanidade neste momento, inclusive draconianos/reptilianos, os quais influenciam alguns grupos, e os nórdicos que influenciam outros grupos, os reptilianos basicamente controlam todos os governos do mundo.

Em sua entrevista no Projeto Camelot, Tompkins alerta que se ele falar sobre os reptilianos e suas atividades obscuras – as quais incluem comer humanos e desempenhar sacrifícios de sangue – então algumas pessoas irão pensar que isto é algo tão maluco, que elas irão automaticamente se fechar e desacreditar tudo mais que ele disse.
Insígnia militar dos EUA, mostrando um dragão ao redor do mundo, com o lema de tradução aproximada: “Com todas as nossas bases, você é nosso escravo”
Kerry Cassidy (apresentadora do Projeto Camelot), reitera a filosofia do Projeto: De que os humanos em geral não estão se protegendo e são ignorantes dos perigos das espécies de ETs que são predatórias, e que assim é vital que aqueles que conhecem a verdade se manifestem publicamente com seu conhecimento e alertem os outros – porque se não fizerem isto os coloca como culpados.
Tompkins também oferece sua opinião de que todos os recentes Presidentes dos EUA, (inclusive Obama) são reptilianos que mudaram suas formas – mas que Donald Trump não é um deles.

Por que William Tompkins? Controle nórdico da mente
O controle nórdico da mente pode explicar porque Tompkins e porque agora. Tompkins conta uma história em sua entrevista do Projeto Camelot de que ele fez um projeto substituto para as missões Apolo, e foi capaz de apresentá-lo para o alto escalão da NASA, Werner von Brown e Kurt Debus. Ele pegou um modelo grande e teve que levá-lo (na carroceria de um caminhão) para dentro de uma base militar altamente protegida.  De alguma forma, ele conseguiu entrar sem papeis.  Eles até mesmo teriam um carrinho próximo para carregar e transportar o modelo. Tompkins acredita que os nórdicos haviam o ajudado o tempo todo, abrindo seu caminho para certas coisas.

Então, por que William Tompkins? Ele diz que lhe foi dada a luz verde, enquanto outros como ele estão sendo ameaçados ou tendo suas famílias ameaçadas. Ele acha que é devido à sua associação com os ETs nórdicos, especificamente 2 mulheres e 1 homem que costumavam ser seus secretários. Ele não soube por muito tempo que ETs estavam trabalhando com ele.  Ele descobriu isto um dia, quando uma delas caiu da escada e foi levada para o hospital em estado grave. Ele ouviu sem querer ela admitindo que não era o que ela disse que era, respondendo a outro chefe.

Tompkins: Tudo que te disseram é uma mentira
William Tompkins gosta de dizer em suas entrevistas que “tudo que te disseram é uma mentira”. Ele alega que muitos dos sistemas e ciências que seguimos, tais como a astronomia, medicina, etc., têm sido semeadas com mentiras para nos enganar.
Isto nos remete de volta às suas alegações de que todos os governos na Terra agora estão sob o controle reptiliano.
Se isto tudo é verdade ou não, ainda veremos, mas certamente muitas das enganações já foram desacobertadas em tantas áreas da vida, que é bom manter-nos abertos para esta possibilidade.
A história de Tompkins reafirma que a história extraordinária da humanidade e a profundidade da conspiração mundial não podem possivelmente ser compreendidas, sem compreendermos a realidade da interferência extraterrestre em nosso passado e a atual influência e controle extraterrestre em nossos assuntos.

Fonte: OVNIHoje

0 comentários:

Postar um comentário

Custom Search