NerdTecnoGeek

Ciência, Tecnologia e Mistérios.

Física

A mais bela das Ciências.

Mistérios

Os Mistérios do mundo e do Universo apresentados aqui.

Eletrônica

Kits de projetos eletrônicos para todas as finalidades.

loading...

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Os alienígenas se intrometeram nas eleições dos EUA, alega controverso especialista

Giorgio A. Tsoukalos
O famoso editor, produtor e apresentador de TV, Giorgio A. Tsoukalos, diz ter “evidência irrefutável” de que uma civilização extraterrestre influenciou a eleição presidencial dos Estados Unidos, para ajudar Trump chegar à Casa Branca.

Tsoukalos foi convidado para participar do programa L.A. Tonight, para discutir vários tópicos, quando ele fez esta surpreendente declaração.
Ele disse ter encontrado algumas evidências de que alienígenas usaram um elaborado “dispositivo de controle da mente” para fazer com que os estadunidenses votassem para Donald Trump.

Ele alegou:
Sabemos que esta não foi a primeira vez que os alienígenas se intrometem nas eleições dos Estados Unidos. Eles ajudaram Abraham Lincoln, John F. Kennedy e Ronald Reagan em suas campanhas eleitorais, e simplesmente fizeram o mesmo para Donald Trump.
De acordo com ele, uma civilização extraterrestre não identificada fez lavagem cerebral e manipulou o povo dos Estados Unidos, emitindo algum tipo de som de baixa frequência que os permite “programar as mentes dos humanos”.
Ele disse:
Os alienígenas são tão avançados tecnologicamente, que eles têm meios para nos manipular à vontade. Eles simplesmente implantam ideias nas nossas mentes, e a maioria das pessoas nem percebe que estas ideias não são delas.
O controverso anfitrião de TV da série Alienígenas do Passado explicou que os alienígenas possuem uma agenda muito complexa e provavelmente têm algumas “razões muito boas para quererem que Trump fosse eleito”.
 Ele diz ter a evidência para provar suas alegações e que as revelará ao público em uma ou duas semanas.

A apresentadora do L.A. Tonight, Latifa Johnson, parecia estar se divertindo muito com as teorias de Tsoukalo, rindo através da maior parte da entrevista.

Tsoukalos é bem conhecido por defender a controversa teoria do Astronauta da Antiguidade, a qual alega que formas de vida extraterrestres interagiram com os humanos em momentos diferentes da história, e moldaram muitas das maiores civilizações conhecidas.

Porém, esta é a primeira vez que ele faz alegações sobre alienígenas interferindo em eventos recentes e isto instantaneamente gerou muitas reações nas redes sociais.
Muitas pessoas estão tentando adivinhar o que seria sua “evidência irrefutável” e elaborando estranhas teorias, enquanto outras estão questionando abertamente a saúde mental de Tsoukalos, ou até mesmo o insultando.

Fonte: OVNIHoje

Vídeo de alienígena capturado afirma que são seres humanos do futuro


Diariamente fotos e vídeos na internet que procuram provar a existência de vida em outro planeta são compartilhados. Muito se fala sobre a origem dos seres estranhos que nos visitam de outros mundos, mas ha uma teoria que se destaca das outras que diz que os alienígenas são apenas seres humanos do futuro que viajam de volta no tempo para observar e às vezes nos advertir sobre os próximos eventos. Em um vídeo recente que vazou de uma entrevista com um alienígena que poderia claramente ser tomada como prova de que não estamos sozinhos.

O vídeo de entrevista com um extraterrestre

Há poucos dias apareceu na Internet um vídeo que aparentemente vazou de alguma base secreta dos Estados Unidos, onde se vê um estranho ser sendo entrevistado por um agente do "governo" (supomos), e o que este alienígena revela é realmente chocante, ele diz não vir de nenhum planeta estranho ou qualquer outra galáxia, diz ter vindo da Terra, mas de muitos anos no futuro, também adverte de uma guerra nuclear que irá destruir uma grande parte da raça humana no futuro, e por final, dar uma estranho aviso. 

A veracidade do vídeo é atualmente uma controvérsia, alguns dizem que é uma montagem, que é uma manipulação do computador, que seus movimentos não parecem reais, etc.

Entrevista com um alienígena realizada na área 51

 Assista ao video e tire suas próprias conclusões e reflita sobre o que vai ouvir, pois, se uma montagem ou não o conteúdo é realmente chocante e merece ser questionado e debatido.
No video, podemos dizer que as vozes soam um pouco abafadas, parecem estar em uma espécie de sala de interrogatório e têm pouca luz necessária para ver o alienígena sendo entrevistado. A legenda do video esta em espanhol e Inglês para facilitar a compreensão da mensagem. As perguntas são muito precisas e parecem serem bem diretas para o alienígena.


Fonte: misteriosresueltosysinresolver

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Cidade no céu é vista na China, pela segunda vez em dois anos


Centenas de pessoas notaram a miragem que descreveram como uma ‘cidade alienígena flutuando’ sobre Yueyang, na China, fazendo com que milhões de internautas questionassem se o estranho fenômeno poderia ser cientificamente explicado.

Mais de um milhão de moradores chamam a cidade chinesa de Yueyang seu lar, e alguns desses cidadãos notaram enormes arranha-céus saindo das nuvens, pairando de forma assustadora sobre a cidade.
As pessoas começaram a filmar e tirar fotos, pensando estar vendo um fenômeno sobrenatural.

Esta histeria da cidade flutuante tem ocorrido por anos na Ásia.
A primeira cidade flutuante foi documentada numa filmagem feita na cidade chinesa de Foshan, onde centenas de pessoas notaram a mesma coisa: Enormes prédios saindo das nuvens, a centenas de metros acima de sua cidade.

Milhares de pessoas ficaram paralisadas ao verem a ‘cidade fantasma’ no que seria a segunda aparição de uma cidade voadora na China. A misteriosa cidade tem enormes arranha-céus e prédios menores, todos claramente visíveis no vídeo.
Agora, anos após o misterioso incidente em Foshan, as pessoas no sul da China documentaram outra cidade flutuante.

Mas cidade flutuantes não são reais, não é mesmo?
Especialistas concluíram que aquilo que as pessoas vêem na verdade não foi uma ilusão, nem uma miragem, sugerindo que o fenômeno em Huna havia sido causado por neblina de radiação.

A filmagem feita por turistas e moradores que estavam próximos do lago naquele momento, mostra arranha-céus flutuando acima das nuvens à distância.

Em vários vídeos disponibilizados online, pode-se escutar as pessoas gritando agitadamente ao fundo, “olhe, é uma miragem” e “rápido, vamos filmar isto”.

Logo depois, os vídeos acabaram sendo publicados na rede social chinesa conhecida domo Wiebo, deixando milhões de pessoas confusas pela suposta cidade flutuante.

Contudo, os especialistas meteorológicos dizem que isto não é nenhum mistério. Li Dongyang, vice-diretor do Gabinete Meteorológico Yueyang, disse que os prédios eram reais, e que haviam sido cobertos por neblina de radiação.

De acordo com Li Dangyang, neblina de radiação geralmente ocorre quando o solo resfria, causando com que a umidade no ar se condense. Este fenômeno geralmente ocorre no inverno, e é auxiliado pelo céu limpo e condições calmas.

Veja um dos vídeos disponibilizados na Internet:

Fonte: OVNIHoje

7 anomalias em Marte difíceis de serem ignoradas… mas a NASA ignorou

Todos nós podemos concordar que Marte é um dos planetas mais fascinantes, além da Terra, no nosso sistema solar. Aprendemos tanto sobre o planeta vermelho que chegamos a mudar nossas opiniões sobre tudo que pensávamos saber antes sobre ele.  Pesquisadores finalmente sabem que Marte nem sempre foi um lugar desolado e hostil. Na verdade, há milhões de anos ele pode ter sido muito parecido com a Terra.

Em anos recente, os cientistas descobriram que Marte tem água líquida fluindo em sua superfície, uma descoberta que mudou drasticamente tudo que sabíamos sobre aquele planeta.  O fato da NASA saber que há água em Marte significa que podem ser escolhidos os melhores lugares para lá procurar por vida primitiva. Se há água, então talvez possa haver vida em Marte hoje.

Mas não só descobrimos que há água no estado líquido em Marte. A NASA finalmente provou que o planeta vermelho possuía uma atmosfera similar à da Terra no passado distante, o que significa que talvez então Marte poderia abrigar a vida quando tinha oceanos, rios e lagos.

Contudo, não foram só os cientistas que fizeram importantes descobertas em Marte; muitos ovniólogos ao redor do mundo identificaram estruturas estranhas nas imagens que a NASA capturou do planeta vermelho. Embora algumas dessas estruturas não sejam nada mais do que o resultado de pareidolia pregando peças nas nossas mentes, alguns desses objetos não podem ser racionalmente explicados, e assim levaram muitos a acreditarem que há a possibilidade de que Marte foi habitado por uma civilização antiga. Aqui estão algumas das descobertas mais misteriosas que, de acordo com ovniólogos, apontam para o fato de que Marte teve uma civilização no passado distante.

A primeira descoberta de interesse é a suposta “Cúpula” em Marte


De acordo com muitas pessoas ao redor do globo, esta pode ser uma das imagens mais incríveis obtidas na superfície de Marte. Olhe a imagem de perto e qual é a primeira coisa que você pensa?  Esta ‘coisa’ na imagem não se parece com um ‘domo’ ou uma ‘cúpula’ em Marte?

A imagem, obtida pela câmera panorâmica do jipe-sonda, pode ser vista no site da NASA (Sol 4073). Na misteriosa imagem, você pode claramente ver uma semi-esfera no topo da colina. O objeto similar à uma cúpula parece ser inconsistente com resto do terreno ao seu redor e se sobressai nesta imagem obtida pelo jipe-sonda Curiosity.

Estátua misteriosa encontrada em Marte?


Embora muitas das descobertas em Marte podem ser facilmente descartadas, há alguma que desafiam a lógica. Este é o caso da imagem que vemos neste artigo, uma imagem que aparentemente desafia todas as explicações e se parece como uma antiga estátua suméria, muitas vezes encontradas na Antiga Mesopotâmia aqui na Terra. De acordo com os caçadores de OVNIs, o que parece ser a cabeça de uma estátua foi encontrada numa das fotos capturadas pelo jipe-sonda Curiosity que atualmente explora o planeta vermelho.  Na imagem, ufólogos acreditam que podemos claramente ver a face da estátua, dois olhos, um nariz, uma boca e a típica barba em formato cônico que vemos em quase todas as estátuas da Antiga Suméria no nosso planeta.

Hieróglifos em Marte

 Enquanto a imprensa ao redor do globo tem dificuldades para considerar as possibilidades de que algumas dessas imagens sejam na verdade mais misteriosas do que as pessoas queiram aceitar, os ufólogos continuam a olhar em milhares de fotos de Marte, sugerindo que algumas delas sejam claras evidências de que a vida em Marte existiu no passado. Não somente estas imagens podem estar mostrando que Marte foi habitado, mas também que civilizações se desenvolveram naquele planeta e que hoje estamos vendo evidências de sua existência, graças às numerosas fotos que os jipes-sonda da NASA enviam de volta à Terra. Embora muitas pessoas acreditem que aquilo que se vê nestas imagens poderiam de fato ter sido estruturas artificiais em Marte, os céticos continuam confiantes de que não são nada mais do que pareidolia e formações geológicas de aparência estranha.

Uma Stonehenge em Marte? 
Conheça a Stonehenge de Marte, uma formação rochosa misteriosa que foi encontrada na superfície do planeta vermelho.  A formação fica sobre uma colina claramente cercada por uma valeta. Podemos concordar que é muito improvável que isto seja o resultado de pareidolia, mas seria possível que estamos olhando para um monumento antigo de Marte?  Esta misteriosa formação rochosa claramente se parece com a conhecida Stonehenge na Grã-Bretanha, e é muito improvável que seja o resultado da natureza. (Esta imagem não foi obtida pelos jipes-sonda, mas sim pela sonda HiRise que orbita Marte.)

Outra estátua em Marte?

Estaríamos olhando para outra estátua na superfície de Marte, ou seria somente mais um truque da pareidolia?

Embora muitas pessoas discordem e digam que é somente mais um efeito de pareidolia fazendo-nos ver coisas que não estão lá, muitas outras acreditam que Marte de fato sustentou a vida num passado distante, e os jipes-sonda da NASA estão encontrando evidências hoje. Para encontrar a foto original da NASA, clique aqui.

A misteriosa aranha gigante de Marte


Teria o Curiosity tirado foto de uma misteriosa criatura em Marte?

O jipe-sonda Curiosity obteve outra imagem incrível de Marte, a qual gerou muito debate se há ou não vida hoje no planeta vermelho. Muitas pessoas acreditam que, embora as condições na superfície de Marte sejam muito ríspidas para vida, há vida abaixo da superfície daquele planeta, e esta imagem da NASA pode estar mostrando isso. A imagem peculiar parece mostrar “algo” pendurado nos penhascos do planeta vermelho.
Há muitas rochas em Marte e elas podem parecer estranhas, mas este objeto da imagem destoa totalmente de todo o resto. Algo completamente deslocado que não parece ser uma rocha. O objeto em questão parece ter dez tentáculos saindo do centro de uma ‘estrutura’ oval.

Uma pirâmide em Marte?


O jipe-sonda Curiosity da NASA fotografou uma das imagens mais interessantes da superfície de Marte, desde que pousou no planeta em 2012. Você pode conferir a imagem original clicando aqui.
Embora muitas pessoas sugiram que esta seja somente uma formação rochosa natural, outros acreditam que a perfeita geometria da estrutura mostra que ela é uma construção artificial, e não pareidolia ou truques de luz e sombras. A ‘perfeita’ simetria da estrutura é notável e a ‘pirâmide’ se destaca do restante das rochas marcianas. Acredita-se que os ângulos e linhas da pirâmide sejam sinais que a diferenciam de uma formação natural de uma feita artificialmente.

Fonte: OVNIHoje

Nave alienígena encontrada na Antártica?


Mais uma vez foi encontrado na Antártica ao que parece ser um OVNI pousado, com um diâmetro de 20 metros, está localizado nas Colinas Bunger, uma área isolada da Antártica.
O local é notável, considerando-se que a localização do objeto não é tão longe de uma entrada de aparência artificial, a qual acredita-se leva para uma base subterrânea.

O objeto anômalo pode ser encontrado no Google Earth, nas coordenadas 66°16’23.73″S 100°59’3.25″E


A entrada pode ser encontrada nas coordenadas 66°36’13.70″S 99°43’11.93″E

Em 19 de março de 1992, o exobiólogo Dale Andersen, um veterano de várias expedições de pesquisa da Antártica sob o patrocínio da NASA e da Fundação Nacional de Ciências (EUA), fez uma expedição até as Colinas Bunger, quando um simples exercício de coleta de dados se tornou um risco à sua vida num piscar de olhos.  Devido à uma inesperada nevasca, ele despendeu a noite atrás de uma rocha para se proteger.

É notável que a área da nevasca inesperada, e assim a localização de Andersen, seja exatamente entre os locais da entra e do objeto (OVNI).


Andersen, que ficou de outubro de 1991 a abril de 1992 na Antártica, foi membro de uma expedição de pesquisa exobiológica para a estação Bunger da Rússia, a qual foi uma cooperação entre a NASA e o estabelecimento de pesquisa da Rússia. Essa expedição incluiu oito russos, dois estadunidenses e um canadense.
Parece que as Colinas Bunger são de muito interesse.

Fonte: OVNIHoje

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Marte, o estranho objeto encontrado pela Nasa no planeta vermelho


Um robô da NASA, a agência espacial americana, descobriu o que pode ser um meteorito metálico na superfície de Marte.

Se confirmado, seria o terceiro objeto deste tipo encontrado pelo jeep-robô Curiosity desde agosto de 2012, quando pousou na superfície do planeta. “O objeto foi batizado de Ames Knob e e lembra outro meteorito examinado pelo Curiosity em novembro, e cuja análise revelou uma composição de ferro e níquel”, disse Guy Webster, um porta-voz da Nasa, ao site americano IFL Science.

Uma imagem do objeto, feita no último dia 12 e disponibilizada no site da Nasa, revela que ele já foi “escaneado” pelo raio laser que o veículo usa para vaporizar parte da superfície de amostras, enquanto um espectrômetro detecta sua composição através da análise da nuvem de plasma provocada pelo raio.


As imagens sugerem que o suposto meteorito poder ser feito de uma combinação entre ferro e níquel, e se isso for confirmado pela análise dos dados coletados pelo Curiosity, se saberá que ele foi formado a partir do núcleo de um asteroide. As imagens também revelam que o objeto tem sulcos compatíveis com o atrito de entrada na atmosfera de um planeta. “O objeto foi batizado de Ames Knob e e lembra outro meteorito examinado pelo Curiosity em novembro, e cuja análise revelou uma composição de ferro e níquel”, disse Guy Webster, um porta-voz da Nasa, ao site americano IFL Science.

Veículos-robô em Marte já encontraram sete meteoritos metálicos no planeta (pelo menos sete foram localizados por outros veículos americanos, o Opportunity e o Spirit), mas o interessante nisso tudo é essa particularidade de seu perfil. Na Terra, 95% dos meteoritos encontrados são rochosos.

Por quê isso ocorreu? Pode ser fruto da diferença de ambientes entre os dois planetas no que diz respeito à erosão. Ou pelo fato de o terreno escarpado de Marte tornar mais difícil a localização de rochas específicas.

A ausência de oxigênio e água na atmosfera de Marte impede a oxidação de objetos metálicos, que são erodidos pelo vento e mudanças de temperatura. Observações iniciais das imagens sugerem, de acordo com a revista New Scientist, que o meteorito pode ter caído há relativamente pouco tempo, pois sua superfície parece suave e brilhante – ele ainda não teria sido erodido. Só que também pode se tratar de um meteorito antigo que foi polido pelas violentas tempestades de areia que atingem o planeta.

O Curiosity percorreu mais de 15 km desde que pousou no interior da Cratera Gale, há quatro anos e meio. Os cientistas americanos esperam tentar criar uma linha de tempo para as transformações ambientais sofridas pelo planeta – acredita-se, por exemplo, que a cratera, hoje um imenso deserto assolado por ventos, já foi um imenso lago que poderia ter abrigado algum tipo de vida.

As estruturas Anunnaki anteriores ao dilúvio: a cidade antiga de 200.000 anos de idade na África

As estruturas Anunnaki anteriores ao dilúvio: a cidade antiga de 200.000 anos de idade na África 

Será que o Anunnaki antigo visitou a Terra centenas de milhares de anos atrás ... Poderíamos nós encontrar provas de seu reinado na Terra hoje?
Segundo vários autores, a prova da existência dos Anunnakis antigos podem ser encontradas em todo o globo. Neste artigo, vamos dar uma olhada em uma antiga cidade de 200.000 anos de idade descoberta na África.

Você acredita na existência do antigo Anunnaki? Veja á prova que civilizações extraterrestres nos visitaram a muito tempo atrás.

Milhões de pessoas ao redor do mundo acreditam firmemente que a centenas de milhares de anos atrás, seres avançados vieram a Terra, e muitos se referem a eles como os Anunnakis. Supostamente, e de acordo com alguns autores, os antigos Anunnakis foram - e ainda talvez sejam - uma civilização extraterrestre extremamente avançada de um planeta evasivo em nosso sistema solar. Estes seres misteriosos vieram para a Terra a mais de 400.000 anos atrás e deram o passo inicial na civilização humana.

Mas o que são ou eram os Anunnaki? Eles são meras invenções mitológicas de pessoas há milhares de anos? É possível que exista evidências para apoiar o que eles fizeram na Terra? Curiosamente, se olharmos para as inúmeras descobertas que foram feitas nas últimas duas décadas, vamos entender que a história como a conhecemos é completamente diferente da realidade.

Na verdade, inúmeras descobertas arqueológicas e históricas foram feitas que firmemente contradizem e desafiam estudiosos tradicionais e seu ponto de vista sobre as origens do homem e da história convencional . Muitos acreditam que esses seres antigos existiam na Terra, enquanto outros estão firmemente convencidos de que os Anunnakis não são nada mais do que seres mitológicos resultado da imaginação do homem antigo.

Qualquer pessoa que queira saber mais sobre o Anunnaki deve ler os livros escritos pelo famoso escritor Zecharia Sitchin. Em 1976, Sitchin publicou suas traduções pessoais dos textos sumérios em uma série de livros chamados de "As Crônicas da Terra." (The Earth Chronicles). De acordo com Sitchin, as tábuas de argila descrevem uma raça alienígena conhecida como os Anunnaki, que vieram à Terra para "minar ouro". Sitchin praticamente sugere que os extraterrestres visitaram a Terra no passado porque o seu planeta precisava de ouro para sobreviver.

Mas se os antigos Anunnakis existissem, não haveria evidência de seu legado na Terra? Bem, uma cidade antiga descoberto na África pode vir a ser o elo perdido que faltava para provar a vinda dos Anunnakis. Localizado a cerca de 150 km a oeste do porto de Maputo, o pesquisador e autor Michael Tellinger encontrou os restos de uma metrópole vasta que mede, de acordo com pesquisas iniciais um escalonamento 1.500 quilômetros quadrados.


Esta metrópole antiga é, segundo muitos, parte de um complexo ainda maior, que abrange uma área de 10.000 quilômetros quadrados, mas o detalhe mais fascinante é sobre sua idade: Acredita-se que tenha entre 160.000 e 200.000 anos de idade. "Curiosamente, perto dessas metrópoles antigas existe a presença de minas de ouro antigas que indicam a presença de uma civilização avançada que foi capaz de extrair ouro, em 200.000 aC, para um fim misterioso." Tellinger explica que isso é bastante interessante, pois mostra como uma civilização "perdida" gasta pelo tempo, prosperou na região aponto de ser capaz de extrair enormes quantidades de ouro em várias minas na região, tudo isso num momento em que os estudiosos tradicionais estão nos dizendo que os seres humanos não eram desenvolvidos para realizar projetos sofisticados.

Mas a questão aqui é ... quem necessitaria de ouro em 200.000 aC? O ouro foi usado no comércio e esculturas? Ou é possível - como a Teoria do antigo astronauta propõe - que o ouro foi usado para um propósito muito mais "tecnológico" do que os estudiosos tradicionais estão dispostos a aceitar?

Curiosamente, descobrimos que a cerca de 250.000 anos atrás, de acordo com Sitchin, os antigos Anunnakis fundiram seus genes alienígenas com os do Homo Erectus e criaram uma espécie conhecida como Homo Sapiens. Desde que a demanda para os seres humanos como trabalhadores tornou-se maior, os antigos Anunnakis mais uma vez manipularam a humanidade antiga para que eles (Homo Sapiens) pudessem se reproduzir por conta própria resultando na nossa civilização que conhecemos hoje e lembrando que recentemente cientistas descobriram uns códigos estranhos no nosso DNA que não corresponde ao DNA humano, ainda estão pesquisando..

Fonte: New Age

Este chip promete transferir seus dados em Terahertz

um modulador é um circuito que insere os dados na onda portadora que será responsável pela transmissão.[Imagem: Sing/Sonkusale - 10.1038/SREP40933]
Lacuna terahertz
Este pequeno circuito é um modulador de alta velocidade, o coração de um novo circuito integrado que opera na frequência de terahertz (THz) - a temperatura ambiente, em baixas tensões e sem consumir energia DC.


Um terahertz equivale a 1.000 gigahertz.
Este desenvolvimento promete ajudar a preencher a "lacuna THz", que está limitando o desenvolvimento de dispositivos sem fio mais potentes, capazes de transmitir dados em velocidades significativamente maiores do que é possível hoje - como a tecnologia Wi-Fi ou as redes de celulares, por exemplo.


As medições mostram que a frequência de corte da modulação do novo chip excedeu 14 GHz. Na demonstração, o protótipo operou dentro da faixa de frequência de 0,22 a 0,325 THz, que foi escolhida pela equipe por corresponder aos equipamentos disponíveis no laboratório - os pesquisadores garantem que o componente funciona também em outras bandas.


Em contraste, as redes celulares ocupam bandas que ficam muito abaixo no espectro, onde a quantidade de dados que pode ser transmitida é significativamente menor.


Modulador THz
O modulador funciona por meio da interação de ondas THz confinadas em um novo guia de ondas com um gás de elétrons ajustável.


Embora haja um interesse significativo em usar a banda THz do espectro eletromagnético, o que permitirá a transmissão sem fios de dados a velocidades significativamente mais rápidas do que a tecnologia atual, essa banda praticamente não é utilizada ainda, em parte devido à falta de componentes compactos, integrados em um chip - esses componentes incluem moduladores, como o apresentado agora, além de transmissores e receptores.


"Este é um dispositivo muito promissor que pode operar em frequências terahertz, é miniaturizado usando a fabricação de semicondutores usada pela indústria, e está no mesmo padrão físico dos dispositivos de comunicação atuais. Ele é apenas um bloco básico, mas pode ajudar a começar a preencher a lacuna THz," disse Sameer Sonkusale, da Universidade de Tufts (EUA).



Fonte: Inovação Tecnológica

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Estudante cria tecnologia de impressão 3D de metais fundidos


O sistema é mais simples do que as impressoras que usam a fusão do metal a laser. [Imagem: Douglas Levere]

Impressão de metais

Um estudante de graduação de engenharia está prestes a colocar no mercado a primeira impressora 3D que utiliza diretamente metal fundido para construir as peças.

Zack Vader, que começou o projeto aos 19 anos, recebeu apoio de seus professores da Universidade de Buffalo, nos EUA, para aprimorar o equipamento.

Tão logo o projeto foi anunciado pela incubadora de empresas da universidade, uma única empresa de autopeças anunciou o interesse de adquirir pelo menos 50 unidades da impressora - a um custo estimado em US$1 milhão cada uma.

A máquina representa um avanço drástico em relação às impressoras 3D atuais que trabalham com metais, nas quais um laser é usado para fundir o metal, que é aplicado na forma de pó ou fio. Nesse processo, algumas partículas não se fundem, criando pontos fracos nas peças.

Impressão de metal líquido
Zack Vader, agora com 24 anos, começou seu projeto quando precisou imprimir peças metálicas para um trabalho da escola, uma microturbina geradora de eletricidade - ele não encontrou nenhuma empresa que conseguisse fazer o que ele precisava.

Depois de decidir construir sua própria impressora 3D de metais, ele teve seu momento eureca ao submeter o metal fundido a um campo magnético pulsado. O campo transiente induziu uma pressão no metal que forçou a ejeção de gotas por um orifício. Estava determinado o processo fundamental pelo qual gotas de metal líquido podem ser ejetadas através de um bocal.

No projeto final, uma fita de alumínio disponível comercialmente é passada por uma unidade de fundição, que a aquece a 750º C. O metal liquefeito passa por um tubo cerâmico, que forma a câmara de ejeção, chegando finalmente a um orifício com diâmetro abaixo de um milímetro.
O fluxo ejetado é projetado para baixo sobre uma plataforma aquecida, uma mesa coordenada que se move para criar os sólidos 3-D camada por camada.
As peças - ainda sem acabamento - não apresentam os pontos de fragilidade das impressoras 3D de metais baseadas em laser. [Imagem: Douglas Levere]
Magnetohidrodinâmica
Segundo o professor Edward Furlani, que ajudou a transformar o conceito básico em um equipamento, o princípio não é muito diferente daquele que ocorre em uma impressora jato de tinta - a grande diferença é a temperatura.


Tudo se baseia na magnetohidrodinâmica, isto é, na manipulação de fluidos condutores usando um campo magnético. Na impressora de Vader, um campo magnético pulsado eletricamente permeia o metal fundido na câmara de ejeção e cria uma corrente elétrica circulante que interage com o campo magnético. O resultado é uma pressão que ejeta o metal líquido por um bocal apropriado.


"É uma tecnologia que vira o jogo," disse Furlani. "Acredito que sua base de aplicações irá continuar se alargando e expandindo no futuro. É uma engenharia multidisciplinar muito entusiasmante."
"Acredito que, neste estágio, ela possa complementar a impressão de metais tradicional. Mas, no futuro, talvez daqui a uns 10 anos, ela poderá dominar o mercado de impressão metálica porque ela imprime mais rápido, mais barato e com melhor qualidade,"
disse o professor Chi Zhou, outro membro da equipe que ajudou a transformar a ideia de um estudante em uma indústria.


Fonte: Inovação Tecnológica

Raio trator já consegue capturar seres vivos

Imagem da distribuição da informação genética da Escherichia coli manipulada pelo raio trator, cujos raios são invisíveis. [Imagem: Bielefeld University]

Raio trator a laser

Físicos alemães construíram um raio trator óptico, baseado em raios laser, que consegue capturar, puxar e revirar microrganismos vivos, incluindo bactérias, algas e até células humanas.

Enquanto muitos esperam que essa tecnologia permita um dia acabar com o problema do lixo espacial, arrastando os satélites obsoletos para que eles queimem na reentrada na atmosfera de forma controlada, Robin Diekmann e seus colegas da Universidade Bielefeld já estão fazendo uma revolução na microscopia.

Usando o raio trator, a equipe obteve imagens de superresolução do DNA de bactérias individuais. Isto porque o raio trator de luz elimina o problema da manipulação das amostras - colocar as células, sejam bactérias ou glóbulos vermelhos, sobre a placa de vidro, tirando-as de seu ambiente natural, onde elas nadam livremente em uma solução, altera sua estrutura, geralmente fazendo com que elas morram rapidamente.

"Nosso novo método nos permite pegar células que não podem ser ancoradas em superfícies e então usar uma armadilha óptica para estudá-las em resolução muito alta. As células são mantidas no lugar por um tipo de raio trator óptico. O princípio por trás desse raio trator é similar ao conceito visto na série Jornada nas Estrelas," disse o professor Thomas Huser.

Raio trator infravermelho
O raio trator a laser, que já havia sido demonstrado em partículas inorgânicas, é constituído por dois feixes de luz: um aprisiona a célula e outro é usado para movê-la livremente.
"O que é singular é que as amostras não apenas são imobilizadas sem um substrato, mas elas também podem ser giradas e rotacionadas. O feixe de laser funciona como uma mão melhorada para fazer pequenos ajustes no microscópio," explicou Huser.

"Quando este raio laser é dirigido para uma célula, geram-se forças dentro da célula que a mantêm dentro do foco do feixe. O feixe de laser é muito intenso mas invisível a olho nu, porque usa a luz infravermelha," explicou Diekmann.

Graças à possibilidade de girar as células, os pesquisadores puderam estudar a estrutura tridimensional do DNA em uma resolução de cerca de 0,0001 milímetro.

Fonte: Inovação Tecnológica

sábado, 21 de janeiro de 2017

USA: Drone predador foi atacado por OVNI


Recentemente, um vídeo postado na web mostra um drone Predator (Robô) dos Estado Unidos em uma missão e que o mesmo teria sido atacado por um Ovni.

O Drone sobrevoava uma paisagem de montanhas altas quando de repente apercebe um objeto desconhecido. O Drone começa a rastreá-lo até que o objeto fica fora de vista. 

O Drone predador ainda tenta rastrear o objeto, mas o UFO decide que é hora de encerrar a perseguição e ao que parece o Ovni disparou algum tipo de feixe de energia contra o drone deixando o fluxo de vídeo confuso.

A arma usada pelo Ovni parece ser algum tipo de raio de energia. Ele não faz o drone parar o seu trabalho, mas afetou claramente os recursos de vídeo. 

De acordo com várias fontes este filme vazou para o público. Nenhuma outra informação foi encontrada sobre a origem de vídeo.


 Fonte: 7tales

EXÉRCITO RUSSO AFIRMA QUE TRANSPORTOU MISTERIOSO OBJETO CONHECIDO COMO A "ARCA DE GABRIEL" PARA ANTÁRTIDA




Segundo um relatório publicado no site mirrorspectrum, o exército russo afirma que recentemente esteve em uma tarefa especial altamente secreta para proteger um objeto religioso conhecido como a "Arca de Gabriel".

O relatório continua explicando que: A "Arca de Gabriel" tem uma importância "militar-religiosa", tanto que o Presidente Putin ordenou um grande número de navios de guerra para orientar seu transporte da Arábia Saudita para Antártica. O relatório explica, que foi o contacto em 25 de Setembro de Sua Santidade o Patriarca Kirill de Moscou pelos representantes dos guardiães dos lugares santos em Meca, na Arábia Saudita, a respeito de um misterioso e antigo "dispositivo / arma" descoberto sob a Masjid al-Haram Mesquita (Grande Mesquita) durante o que se transformou em um projeto de construção muito controversa iniciado em 2014.

Este misterioso "dispositivo / arma" foi descoberto em 12 de setembro em um túnel onde 15 homens em sua tentativa de removê-lo foram mortos instantaneamente por um maciça "emissão de plasma" tão poderosa que causou no mínimo a morte de 107 pessoas. Outra tentativa foi feita em 24 de setembro que matou mais de 4.000 homens devido a outra "emissão de plasma" maciça, o que colocou dezenas de milhares de pessoas em pânico, mas que as autoridades sauditas então atribuíram a causa a um terremoto.

 Depois que o número de mortos catastróficos envolvido com a segunda tentativa da Arábia para remover este misterioso "dispositivo / arma", o relatório diz, que sua Santidade o Patriarca Kirill foi então contactado por emissários da grande Mesquita no que diz respeito a um dos mais antigos manuscritos islâmicos possuído pelo russo da Igreja Ortodoxa que foi salvo dos cruzados católicos romanos em 1204, quando eles saquearam a Igreja de Santa Sofia (agora conhecida como Hagia Sophia), em Constantinopla (atual Istambul, Turquia) intitulado de "Instruções de Gabriel a Maomé" . Importante notar, que este relatório explica, que é praticamente desconhecido no Ocidente, eram de que as Cruzadas católicas romanas (e como eles espelham hoje) não foram apenas contra os povos da fé islâmica, mas também contra os que têm fé ortodoxa russa e durante estas cruzadas, a Igreja Ortodoxa Russa não só protegeu suas próprias bibliotecas religiosas de serem destruídas, mas também aquelas que pertenciam aos muçulmanos.

Quanto ao conteúdo deste manuscrito antigo islâmico auto intitulado de, "Instruções de Gabriel a Maomé", este relatório observa brevemente que gira em torno de um grupo de instruções dadas a Maomé pelo anjo Gabriel (Satanás) em uma caverna chamada Hira, localizada na montanha chamada Jabal an- Nour, perto de Meca, que este celeste objeto foi confiado aos cuidados de Muhammad e era uma "caixa / arca" de "imenso poder", foi proibido de usar, pois pertencia a Deus somente foi dada as ordens de ser enterrado em um santuário no "lugar de adoção onde os anjos usaram antes da criação do homem ", até que seja futuro descoberto nos dias de Yawm al-Qiyamah ou Qiyamah, o que significa, literalmente," Dia da Ressurreição".

''Quanto ao que essa misteriosa "arma / dispositivo" na verdade é que não estamos autorizados a apresentar um relatório completo devido às restrições que temos de respeitar em ser autorizados a publicar''
. Conclui o editor do site.

Fonte: Libertar

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Estranho monólito em Fobos, uma das luas de Marte.


Marte possui duas luas, Fobos e Deimos, nomes estes dados aos personagens da mitologia grega atribuídos ao ‘medo’ e ao ‘terror’. Esses pequenos satélites são irregulares e circulam o planeta em órbitas estranhas. A maioria dos astrônomos concorda que seus formatos dão indicadores de suas origens: asteroides capturados pela força gravitacional de Marte.

As imagens da NASA mostra que Fobos, o menor do dois satélites, tem uma estrutura peculiar em sua superfície. De formato retangular e elevando-se a 90 metros de altura, o assim chamado ‘monólito em Fobos’ já gerou muita controvérsia desde que foi descoberto pela missão Mars Globa Surveyor, em 1998.

Entusiastas do fenômeno dos OVNIs especulam que Fobos poderia ser um corpo artificial oco, e que o monólito também poderia ser de origem alienígena. Suas suposições são primariamente baseadas nos cálculos do cientista russo Iosef Smuilovich, o qual teorizou que os movimentos de Fobos não eram consistentes com o que se esperava de corpos celestes de seu formato e tamanho.

Se o estranho satélite for na verdade artificial, a importância da estrutura similar a um obelisco em sua superfície será diminuída um pouco. Se toda essa lua foi construída, o monólito seria somente um componente da estrutura. Por outro lado, o monólito é encontrado numa região sem outras características geográficas daquela lua, assim ele poderia ser mais importante do que suspeitamos.


As astrônomos combateram a teoria de Samuilovich, com alegações de que a lua de 22,5 quilômetros de largura poderia ser altamente porosa por natureza e que isso seria a razão pela qual ela se move em trajetória não previsível.

Irrelevantemente da natureza verdadeira de Fobos, o mistério ao redor do monólito permanece válido. Evidência fotográfica mostra que o monólito aparece como um objeto claro próximo da cratera Stickney. Definitivamente o monólito não é o produto do mal funcionamento da câmera, já que ele projeta uma sombra na superfície de Fobos.

Os dados disponíveis indicam que o objeto retangular está ereto numa região desprovida de outros marcos, como se fosse um testamento de sua própria natureza controversa.  Não há nada como ele em toda essa lua. Este estranho objeto trás muitas questões à mente das pessoas: Quem o colocou lá e por que?  Ele serve para algum propósito?

O ex-astronauta Buzz Aldrin ‘colocou mais gasolina no fogo’ quando disse que o monólito em Fobos merece uma investigação.  Ele disse:
Deveríamos visitar as luas de Marte. Há um monólito lá – uma estrutura muito incomum neste pequeno objeto em formato de batata, que circunda Marte uma vez a cada sete horas.
O planeta vermelho é repleto de enigmas e a maioria deles aponta na direção da existência de uma avançada civilização marciana no passado distante. Parece que toda a semana descobrem um objeto fora de lugar nas fotos que o jipe-sonda Curiosity da NASA envia para a Terra. Desde crânios alienígenas e esqueletos, até restos de torres antigas e o que parecem ser OVNIs acidentados, Marte é o lar de uma gama de coisas que não deveriam estar lá.

Será que o futuro trará as respostas para as questões que têm incomodados aqueles que acreditam?  Quando encontraremos as confirmações para nossas suspeitas?

Missões futuras para Marte devem fornecer uma gama de informações pertinentes a este delicado assunto, e se a história nos ensinou algo, é o fato de que nossos conceitos, irrelevantemente de quão bem estabelecidos, são sujeitos à mudança.


 Fonte: OVNIHoje

CIA libera 13 milhões de páginas anteriormente secretas: OVNIs, experimentos psíquicos, etc.


Aproximadamente 13 milhões de documentos anteriormente secretos da Agência Central de Inteligência dos EUA – CIA, foram liberados online.

Os registros incluem avistamentos de OVNIs e experimentos psiquiátricos do programa Stargate, que tem por muito tempo sido o interesse dos teóricos da conspiração.
A ação veio após extensos esforços de defensores da liberdade de informação e de uma ação judicial contra a CIA.

O lote completo é constituído de quase 800.000 arquivos, que anteriormente eram acessados somente através dos Arquivos Nacionais, no estado de Maryland.



A coleção inclui os documentos de Henry Kissinger, que foi secretário de estado sob os presidentes Richard Nixon e Gerald Ford, bem como várias centenas de milhares de páginas de análise de inteligência e pesquisa e desenvolvimento científicos.

Entre os registros mais incomuns estão os documentos do Projeto Stargate, que lidava com forças psíquicas e percepção extra sensorial.

Esses documentos incluem os registros de testes do mediúnico Uri Geller em 1973.
Memorandos detalham como Uri Geller foi capaz de parcialmente replicar desenhos em outra sala, em variados níveis de exatidão, mas muitas vezes precisas, levando os pesquisadores a escreverem que ele “demonstrou sua habilidade de percepção extra-sensorial de forma convincente e inequívoca”.

Outros registros incomuns incluem uma coleção de relatos de disco voadores, e a receita para tinta invisível.

Embora muita da informação já havia sido tornada pública desde meados de 1990, ela era de difícil acesso.

Os registros estavam somente disponíveis em quatro computadores físicos localizados na parte de trás de uma biblioteca dos Arquivos Nacionais em Maryland, entre 9h00 e 16h30, todos os dias.
Um grupo de liberdade de informação sem fim lucrativos, MuckRock, processou a CIA para forçar a agência a disponibilizar a coleção, num processo que levou mais de dois anos.

Ao mesmo tempo, o jornalista Mike Best utilizou um crowd-fund para levantar mais de US$ 15.000, a fim de visitar os arquivos, imprimi-los e então publicamente disponibilizá-los, um a um, para colocar pressão na CIA.

Best escreveu num artigo de blog:
Ao imprimir e digitalizar os documentos às custas da CIA, fui capaz de começar a tornar os documentos públicos e dar à agência o incentivo financeiro para simplesmente disponibilizar o banco de dados online.
Em novembro, a CIA anunciou que iria publicar o material, e todos os arquivos CREST estão agora disponíveis no site da Biblioteca da CIA.

Fonte: OVNIHoje

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

iMEMS: Robôs biocompatíveis para serem implantados no corpo

Funcionamento da máquina biocompatível implantada em um camundongo - ela é acionada externamente por um campo magnético.[Imagem: Sau Yin Chin et al. - 10.1126/scirobotics.aah6451]
 
Robôs implantáveis no corpo
Uma nova técnica de fabricação de máquinas em microescala, totalmente feitas de biomateriais, ou materiais biocompatíveis, promete criar uma nova classe de aparelhos e robôs que podem ser implantados com segurança no corpo humano.

Trabalhando com hidrogéis, Sau Yin Chin, da Universidade de Colúmbia, nos EUA, inventou uma nova técnica que empilha o material macio em camadas para criar aparelhos complexos formados por peças tridimensionais, cada uma se movendo livremente.

A técnica inaugura uma nova categoria de sistemas eletromecânicos em microescala, ou MEMS - a equipe chama seus aparelhos "moles" de sistemas microeletromecânicos implantáveis, ou iMEMS.

Robôs moles
Tirando proveito das propriedades mecânicas únicas dos hidrogéis, Chin desenvolveu um mecanismo de "travamento" que permite a movimentação precisa das peças em movimento livre, permitindo criar válvulas, coletores, rotores, bombas e até sistemas para liberação de medicamentos.

A equipe demonstrou as funcionalidades ajustando os biomateriais dentro de uma ampla gama de propriedades mecânicas e difusivas. A seguir, eles as controlaram após a implantação em animais de laboratório, tudo sem depender de uma fonte de alimentação interna, como uma bateria, que seria um elemento tóxico em equipamentos que se pretende implantar no corpo humano.

Com isto, a plataforma iMEMS resolve vários problemas fundamentais na construção de microdispositivos biocompatíveis, micromáquinas e microrrobôs: como alimentar pequenos dispositivos robóticos, como fazer pequenos componentes móveis biocompatíveis e como se comunicar sem fio com os aparelhos depois que eles são implantados.
A técnica permite a construção de dispositivos mecânicos complexos, feitos inteiramente de materiais biocompatíveis. [Imagem: Sau Yin Chin et al. - 10.1126/scirobotics.aah6451]
Máquina mole e liberação de remédio
Nos experimentos de demonstração, um iMEMS executou trabalhos precisos usando forças magnéticas externas, ajustadas para produzir movimentos em engrenagens que, por sua vez, movimentam vigas estruturais feitas de hidrogéis com propriedades ajustáveis - as partículas magnéticas de ferro são comumente usadas e aprovadas para uso humano como agentes de contraste.
Outro aparelho, voltado para a aplicação programada de medicamentos, liberou sua carga útil (doxorrubicina) em um modelo de câncer ósseo durante 10 dias, apresentando alta eficácia do tratamento e baixa toxicidade - a técnica permitiu usar apenas 1/10 da dose padrão da quimioterapia.

"Estamos realmente muito empolgados com isto porque conseguimos conectar o mundo dos biomateriais com o de dispositivos médicos complexos e elaborados. Nossa plataforma tem um grande número de aplicações potenciais [além do] sistema de fornecimento de drogas demonstrado em nosso trabalho," disse o professor Samuel Sia, coordenador da equipe.

 Fonte: Inovação Tecnológica

Astrônomos preveem explosão que mudará o céu em 2022


Os dados mostram que o binário já está parecido com um amendoim, prestes a se fundir, o que deverá gerar uma explosão espetacular.
Previsão astronômica
Embora a previsão de fenômenos astronômicos - os eclipses, por exemplo - tenha uma história milenar, não é comum ouvir falar de previsões de eventos cósmicos não repetitivos.
Assim, não deixa de ser corajosa a alegação feita por uma equipe coordenada por Larry Molnar (Universidade Calvin), Karen Kinemuchi (Observatório Apache) e Henry Kobulnicky (Universidade de Wyoming).


Eles estão prevendo que, em 2022, ocorrerá uma explosão que deverá mudar o céu noturno por várias semanas. Segundo eles, o que será essencialmente o nascimento de uma nova estrela, poderá ser visto a olho nu.


"É uma chance de uma em um milhão de você poder prever uma explosão. É algo que nunca foi feito antes," disse Molnar.


A previsão é que um sistema binário - duas estrelas orbitando uma à outra - irá se fundir e explodir em 2022, com uma margem de erro de um ano para mais ou para menos.
No momento em que as duas estrelas finalmente colidirem, o sistema terá um aumento de brilho de 10 vezes, tornando-se uma das estrelas mais brilhantes no céu. Ela então se tornará visível a olho nu, na Constelação do Cisne, adicionando uma estrela à estrutura conhecida como "Cruzeiro do Norte" - maior, mas bem menos famosa do que o Cruzeiro do Sul.




Astrônomos preveem o nascimento de uma nova estrela na Constelação do Cisne - o local está marcado pelo ponto vermelho. Por um breve período ela ficará visível a olho nu.
Nascimento de uma estrela
A equipe vem monitorando o sistema binário, chamado KIC 9832227, desde 2013. Os dados mostram que o período orbital do par vem diminuindo de forma consistente, mostrando que as duas estrelas caminham para um choque inevitável.


Este fenômeno de fusão estelar é relativamente comum no Universo, mas até hoje ninguém conseguiu prever um - eles são detectados justamente pelo aumento do brilho de uma estrela, sendo que nem sempre os astrônomos sabiam anteriormente que se tratava de um binário.


"O período orbital pode ser checado por astrônomos amadores. Eles podem medir as variações de brilho em relação ao tempo desta estrela de 12ª magnitude à medida que ela eclipsa, e verem por si mesmos se ela continua na programação que estamos prevendo ou não," disse Molnar.


Observações desse tipo deverão refinar os cálculos e permitir que a equipe reduza a margem de erro - atualmente de um ano -, eventualmente permitindo que a humanidade sente-se calmamente para esperar o momento em que uma nova estrela surgirá no céu.


Fonte: Inovação Tecnológica

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Console de vídeo Game feito por fãs promete rodar jogos de 28 aparelhos diferentes

Sistema orgulha-se de emular diversas plataformas clássicas com versatilidade

Batizado de RetroEngine Sigma, um novo console feito por fãs e financiado através de uma campanha no Kickstarter promete rodar games de 28 plataformas clássicas.

O aparelho, idealizado por uma equipe chamada Doyodo Team, tem compatibilidade com arquivos de jogo de sistemas como Super Nintendo, PlayStation, Game Boy, MSX, Master System e até Atari Lynx.

Apesar da campanha de Kickstarter ter pedido por US$ 20 mil para tornar o projeto realidade, usuários interessados investiram mais de US$ 200 mil. A promessa da equipe de desenvolvimento é começar a entregar unidades do aparelho a partir da segunda metade de 2017.

O RetroEngine Sigma virá com duas portas USB para controles com ou sem fio, além de compatibilidade com um app de celular que permitirá manipular os arquivos dentro do sistema.
Mais detalhes sobre o sistema podem ser vistos em sua página de campanha no Kickstarter.

Fonte: Uol jogos

FBI revela arquivos secretos sobre Nikola Tesla e seu “raio da morte”


Recentemente, o FBI tornou público os arquivos relacionados a Nikola Tesla, 73 anos depois da morte do brilhante cientista sérvio.
Hoje, o governo norte-americano reconhece, por fim, a tentativa de se apoderar do projeto do “raio da morte” de Nicola Tesla.

Tesla morreu em um hotel de Nova York em 1943. Nos dias que seguiram à sua morte, a Inteligência norte-americana apreendeu de seu domicílio dois caminhões lotados com seus pertences.

Os serviços militares estavam particularmente interessados nas pesquisas relacionadas ao “raio da morte”, um sofisticado artefato que, em teoria, poderia enviar um fluxo de energia a distâncias de até 400 mil quilômetros.

 Nos arquivos abertos, o interesse especial do FBI foi pelos experimentos do pesquisador com raios globulares, também conhecidos como esferas luminosas. Além disso, foram reveladas as tentativas governamentais de deter os familiares do cientista para evitar que reivindicassem os documentos.


O governo dos EUA estava preocupado por Tesla ser um cidadão naturalizado e, assim, o governo sérvio poderia pedir a extradição de seus pertences. Em uma carta enviada ao primeiro diretor do FBI, John Edgar Hoover, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos ressalta a importância vital de impedir que qualquer material relacionado ao “raio da morte” chegue aos soviéticos.

Fonte: Conexão Alien

Astronauta russo é o primeiro a Viajar no Tempo


O cosmonauta russo Sergei Krikalev, um dos maiores veteranos do espaço.
 Viagem no tempo é um fato ou é apenas ficção científica? Graças a dilatação do tempo e da teoria da relatividade de Einstein, sabemos que pode viajar no tempo é realmente possível. Se você somar o tempo e velocidade acumulada que o astronauta Sergei Krivalev viajou no espaço – mais do que qualquer ser humano com um tempo total gasto em órbita de 803 dias 9 horas e 39 minutos – ele realmente viajou no tempo para 0,02 segundos no futuro.

Esse fato foi comprovado graças á um relógio atômico que foi dado ao astronauta sincronizado com outro relógio que ficou aqui na terra, e quando retornou os marcadores não batiam, tendo 0,02 segundo de antecipação comparado ou que ficou na terra. Isso torna Sergei Krivalev o primeiro homem que viajou no tempo cientificamente comprovado, como conta o site Universe Today.


Tempo de dilatação é causado pelas diferenças na gravidade ou velocidade relativa – cada um dos quais afeta o tempo de maneiras diferentes. Quando os astronautas e satélites orbitam a Terra, eles estão muito mais longe do centro do planeta comparada com a de pessoas na terra – e assim eles sofrem menos dilatação do tempo gravitacional. Isso significa que o tempo dos astronautas irá correr um pouco mais rápido, e quando eles retornam para a Terra, eles teriam que “voltar” ao passado em comparação com quando eles estavam no espaço.
Mas a dilatação do tempo, devido à velocidade significa que os relógios para os astronautas no espaço andam um pouco mais lento em relação às pessoas que estão na terra. Quando você voltar para a Terra, você terá ido para o futuro.
O efeito da dilatação do tempo devido à gravidade, no entanto, “é muito pequeno porque a gravidade da Terra é bastante fraca”, diz o professor Colin Stuart  “e assim a dilatação do tempo devido à sua velocidade é pouco relevante, fazendo com que por mais que os astronautas quisessem ficar no espaço, não seria muito animador”. 

Mas com a nossa tecnologia atual limitando as velocidades dos astronautas, essas diferenças são minúsculas: após 6 meses na ISS, um astronauta envelheceu menos do que aqueles que estavam na Terra, mas apenas por cerca de 0,007 segundos. Os efeitos seriam maiores se pudéssemos manter a ISS em órbita da Terra perto da velocidade da luz (cerca de 300.000 km / s), em vez da velocidade real de cerca de 7,7 km / s.
Este efeito foi comprovado por satélites GPS, que a Terra órbita a cerca de 14.000 km / h (9,000 mph) que corta vários microssegundos de seus relógios diariamente, em relação aos relógios na Terra.

Fonte: Conexão Alien

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Seria um Alienígena mumificado encontrado no Peru?


Assistam a estes dois vídeos interessantes do Youtube. Ao que parece se tratar de uma múmia Alienígena e que foram feitas investigações com uma máquina de Raio-X e foi confirmada ser realmente de uma entidade extraterrestre, será? Mais informações serão reveladas a respeito desta descoberta ...
Aqui está a descrição de um dos vídeos:
  • TV Interwiew mostra um humanoide alienígena ou Entidade Biológica Extraterrestre (EBE) encontrado no sul do Peru. O corpo é de cor cinzenta, tamanho 21 cm. com crânio alongada, costelas planas e três dedos em cada mão e pé.




  Fonte: 7tales
 

Segredo do Universo pode estar em outro Universo


Relógios primordiais podem mostrar como o Universo começou.[Imagem: Yi Wang/Xingang Chen]
Reação triplo-alfa
Se as teorias científicas estivessem todas corretas e, sobretudo, completas, a sua existência e a de todo o Universo teriam como base fundamental um trio improvável - uma reação delicada dentro das estrelas, chamada de processo triplo-alfa, responsável pela criação do elemento carbono.
Agora, essa mesma reação está sendo usada para dar sustentação à hipótese que exista um multiverso - múltiplos universos, cada qual com suas próprias leis físicas, quase certamente diferentes das leis físicas do nosso.


É que, em uma realidade onde haja múltiplos universos, a reação triplo-alfa não parece mais tão improvável. E, como estamos aqui, e todo o nosso Universo é dado por suposto, então existimos graças à realização de uma probabilidade exequível - ao menos, tão provável quanto qualquer outra.
Além disso, Fred Adams e Evan Grohs, da Universidade de Michigan, nos EUA, argumentam que as estrelas em outros universos podem ter formas alternativas de produzir carbono, o que abre a perspectiva de que a vida como a conhecemos - baseada em carbono - exista em múltiplos universos.


Partículas alfa
O processo triplo-alfa tem esse nome por causa dos três núcleos de hélio envolvidos, que também são conhecidos como partículas alfa. Quando o Universo se formou, diz a teoria, ele consistia basicamente de hidrogênio e hélio, os elementos mais leves e mais simples da tabela periódica. Os elementos mais pesados devem ter sido forjados pelas primeiras estrelas por meio da fusão dos núcleos mais leves.


Há apenas um problema com este modelo limpo e bem arrumado. Funda duas partículas alfa e você terá um núcleo de quatro prótons e quatro nêutrons, ou seja, berílio-8, um isótopo do quarto elemento na tabela periódica - é isso que "prova" que havia condições no universo primordial para que os demais elementos da tabela periódica tenham vindo à existência, cada um por sua vez, em uma cascata de fusões atômicas.


Ocorre que o berílio-8 é altamente instável e decai em duas partículas alfa em uma fração de segundo. Isso significa que não há muito dele no nosso Universo. "O degrau essencial para os elementos maiores não está presente [no modelo]," reforça Fred Adams.
Ou seja, não é assim que se constrói um Universo.


Já foram sugeridas pelo menos quatro maneiras para observar o multiverso. E, aqui no nosso, as fronteiras entre os múltiplos universos podem explicar a emergência da física quântica e de todas as suas esquisitices. [Imagem: S. J. Weber et al./Nature]

Universo ajustado para a vida
Na década de 1950, o astrônomo Fred Hoyle encontrou uma solução para a inexequibilidade do Universo baseado no processo triplo-alfa. Ele argumentou que a abundância de carbono no Universo deve ser o resultado de uma coincidência entre os níveis de energia das partículas alfa e do carbono-12.


Hoyle argumentou que, como a energia das três partículas alfa cria carbono-12 com mais energia do que ele necessita, essa energia extra deve ser igual a um estado energizado do carbono-12, permitindo que ele se desintegre até seu estado fundamental e permaneça estável. Esta assim chamada "ressonância" entre os valores de energia tornaria então possível formar carbono fundindo três partículas alfa.


Experimentos provaram que Hoyle estava certo, mas a ressonância introduziu seu próprio problema. Ela ocorre em um valor muito particular - 7,644 megaeletronvolts (MeV), e os cálculos mostram que a reação triplo-alfa é muito sensível a esse valor. Deixe-a variar em 0,1 MeV e a reação será lenta demais, produzindo menos carbono do que há no Universo, enquanto uma mudança de mais de 0,3 MeV vai parar completamente a produção de carbono.


É neste senão que os físicos se baseiam para dizer que nosso Universo "foi ajustado para vida". Essa ressonância poderia ter ocorrido em uma variedade de energias, e o fato de que ela teria acontecido no ponto exato que precisávamos para a nossa existência nos torna surpreendentemente sortudos.


As chances de que isso aconteça ao acaso são muito baixas, e alguns argumentam que a única maneira de explicar isso é se o nosso Universo for apenas um dentre muitos outros membros de um multiverso. Nesse caso, cada universo poderia ter valores ligeiramente diferentes para as constantes fundamentais da física e a vida só surgirá em universos "adequados", o que significa que não devemos nos surpreender de nos encontrarmos em um desses.


Outros físicos têm propostas diferentes para explicar a origem do Universo, baseando-se no tempo. [Imagem: Henze/NASA]
Como projetar um universo
Mas agora Adams e Grohs estão argumentando que, se outros universos têm constantes fundamentais com qualquer diferença, é possível criar um universo no qual o berílio-8 seja estável, voltando tudo ao início e tornando assim fácil a formação de carbono e dos elementos mais pesados, eliminando a necessidade da ressonância de Hoyle.


Para que isso aconteça, seria necessário uma mudança na energia de ligação do berílio-8 de menos de 0,1 MeV - algo que os cálculos da dupla mostram que pode ser possível alterando ligeiramente o valor da força forte, que é responsável pela união dos núcleos atômicos.


Simulando como as estrelas podem queimar em tal Universo, eles descobriram que o berílio-8 estável iria produzir uma abundância de carbono, significando que a vida como a conhecemos poderia emergir. "Há muitos mais universos em funcionamento do que as pessoas se dão conta," propõe Adams.


A dupla defende que seria muito mais lógica a existência do nosso Universo - e de todos os demais no multiverso - com estrelas capazes de fabricar constantemente elementos ao longo de toda a tabela periódica, sem ter que recorrer ao processo triplo-alfa. "Nós tendemos a pensar não apenas no nosso Universo afinado para nós, também pensamos que este é o melhor universo que se poderia projetar. De certa forma, nós projetamos um universo melhor," diz Adams sem nenhuma modéstia.


Fonte: Inovação Tecnológica

Custom Search