NerdTecnoGeek

Ciência, Tecnologia e Mistérios.

Física

A mais bela das Ciências.

Mistérios

Os Mistérios do mundo e do Universo apresentados aqui.

Eletrônica

Kits de projetos eletrônicos para todas as finalidades.

loading...

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Fenômenos atmosféricos bizarros foram vistos ao redor do mundo

Luzes estranhas que se aproximam de uma nuvem semelhante a um OVNI, a Lua parece ser retangular, nuvem estranha de arco-íris e outros fenômenos atmosféricos bizarros foram vistos em todo o mundo na semana passada.

Uma imagem deslumbrante de um fenômeno atmosférico estranho foi capturada pelo astrônomo amador John Stetson sobre a Baía Casco, em Maine (EUA), em 9 de julho de 2017.
Enquanto observava o nascer da Lua em Dyer Point, Cape Elizabeth, Stetson viu a Lua mudando de repente para uma forma retangular.

Perguntando a si mesmo o que teria acontecido e procurando uma explicação, parece que a Lua ficou retangular devido ao efeito de uma combinação de ar quente e frio que se encontrava no litoral do Maine.
Outro fenômeno celeste estranho foi filmado na Tailândia na semana passada, quando a testemunha viu uma luz estranha no topo de uma nuvem semelhante a um OVNI.

Este fenômeno é a chamada nuvem de cumulonimbus e é o efeito da luz solar refletindo sobre cristais de gelo alinhados com o campo elétrico logo acima do topo da nuvem. Veja o vídeo da nuvem:
E em 4 de julho de 2017, algo realmente estranho aconteceu no céu sobre os EUA quando as pessoas testemunharam uma nuvem de arco-íris bizarra perto de outra luz estranha. Veja o vídeo da nuvem do arco-íris aqui.

Como sabemos, HAARP, NORAD e outras instalações similares em todo o mundo podem manipular o clima e criar o que parece ser um fenômeno climático normal, mas na verdade, a maioria desses fenômenos no céu está fora de lugar e é causada por experimentos climáticos de alta tecnologia, de acordo com os teóricos da conspiração.
Veja o vídeo da luz bizarra de 4 de julho:

Fonte: OVNIHoje

A equação mestra do Universo

Vejam só que interessante esse artigo sobre o que seria a equação mestra do universo. Essa equação é o estado mais avançado do conhecimento humano para tentar descrever o conjunto de maneiras pelo qual as menores partes da matéria interagem com as forças fundamentais da natureza.

O Modelo Padrão da física de partículas é frequentemente visualizado em uma tabela, similar à tabela periódica dos elementos, e utilizado para descrever propriedades como massa, carga e rotação. Mas não foi em formato de tabela que isso tudo começou.

A equação
A grande teoria de quase todas as coisas consiste numa coleção de vários modelos matemáticos que provaram ser interpretações atemporais da lei da física.

Aqui definimos uma breve excursão pelos tópicos abordados nesta gigantesca equação.
Essa versão do Modelo Padrão está escrita sob uma abordagem langregeana. Esta consiste numa forma extravagante de escrever uma equação para determinar o estado de um sistema em mudança e determinar o máximo possível de energia que ele pode sustentar.

Primeira parte


As três primeiras linhas do Primeiro Padrão referem-se de forma ultra específica ao glúon, o bóson que mede a força forte de quarks. Existem oito tipos diferentes de glúons, que interagem entre si e carregam o que se conhece como a cor de carga.

Segunda parte


Quase a metade dessa equação se dedica a explicar a interação entre bósons, particularmente os do tipo W e Z.

Bósons são partículas de transporte de força. Há quatro espécies de bósons que interagem com outras partículas utilizando três forças fundamentais. Fótons carregam eletromagnetismo, glúons carregam a força forte e os bósons W e Z carregam a força fraca. O tipo mais recentemente descoberto – o bóson de Higgs – é um pouco diferente; suas interações aparecem na próxima parte da equação.

Terceira parte


Esta parte da equação descreve como as partículas de matéria elementares interagem com a força forte. De acordo com essa formulação, partículas de matéria dividem-se em três gerações, cada uma com massas diferentes. A força fraca ajuda as partículas mais maciças a decair em formas menos maciças.

A seção também inclui interações básicas com o campo de Higgs, das quais algumas partículas elementares recebem sua massa.
De forma intrigante, essa parte da equação supõe algo que contradiz descobertas recentes na física. Incorretamente, ela propõe que as partículas subatômicas chamadas de “neutrinos” não têm massa.

Quarta parte


Na mecânica quântica, não há um único caminho ou trajetória que uma partícula possa percorrer, o que leva a algumas redundâncias nesse tipo de formulação matemática. Para esclarecê-las, os teóricos usam partículas virtuais que chamam de fantasmas.

Essa parte da equação descreve como partículas de matéria interagem com os fantasmas de Higgs, artefatos virtuais do referente campo.

Quinta parte


A última parte da equação inclui mais fantasmas, conhecidos como Faddeev-Popov. Estes cancelam as redundâncias que ocorrem em interações pela força fraca.

Nota: Thomas Gutierrez, professor assistente de Física da Universidade do Estado da Califórnia, transcreveu o Modelo Padrão Langrangiano para a internet. Ele o derivou da Diagrammatica, uma referência de física teórica escrita por Martinus Veltman, ganhador de um prêmio Nobel. Na divulgação de Gutierrez dessa transcrição, ele notou um erro de sinal cometido em algum ponto da equação.

Fonte: mundogunp

Mais uma incrível NAVE titânica foi registrada na transmissão ao vivo da NASA


Após a liberação do vídeo muitos pesquisadores de OVNI estão se referindo a ele como um dos melhores registro de uma super nave mãe alienígena já vista na transmissão ao vivo da NASA.

O objeto passou ao lado da Estação Espacial Internacional (ISS). O objeto misterioso em questão foi detectado pela primeira vez por um usuário do YouTube que opera sob o controle do StreetCap1 que estava monitorando o fluxo ao vivo da ISS no momento. "Eu pensei que estava vendo coisas", escreveu ele abaixo do vídeo em que um UFO enorme em forma de charuto pode ser visto pairando sobre a Terra em uma área perto da estação espacial.

Depois de registrar algumas imagens (da tela) da incrível aparição e enviá-las para o canal do YouTube, suas imagens causaram uma verdadeira tempestade na Internet. Alguns espectadores ainda observaram que havia alguns orbes peculiares posicionados debaixo da suposta "nave mãe" no vídeo.

StreetCap1 observou que ele tinha que ser muito rápido para capturar boas fotos do objeto misterioso, já que a transmissão ao vivo imediatamente se tornou mais fraca em questões de qualidade, logo que a misteriosa nave apareceu na tela.

Pesquisadores do fenômeno dos OVNIs afirmam que esta é uma tática regular empregada pela NASA e outros agentes para garantir que o público em geral não tenha acesso a imagens claras de visitantes alienígenas a este sistema solar.

O vídeo chamou a atenção de Tyler Glocker, o criador do Secure Team 10, que tem uma grande experiência quando se trata de avistamentos de OVNIs. Ele disse que é muito claro que existem "objetos anômalos" no vídeo, incluindo o OVNI longo em forma de charuto e os orbes de aparência estranha.

De acordo com Glocker, não é incomum que objetos misteriosos, como o exibido neste vídeo, apareçam nas transmissões ao vivo da ISS. Ele afirma ter visto UFOs em várias ocasiões depois de monitorar centenas de sessões dessas transmissões. No entanto, apesar da regularidade desses incidentes, a NASA e as outras agências espaciais geralmente se recusam a fazer comentários ao público sobre o que os objetos poderiam ser e sua origem.

Fonte: new-age-gamer

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Quem, ou o que, está limpando os painéis solares do jipe-sonda em Marte?

O programa de exploração em Marte com os jipes-sondas da NASA está em andamento desde 2004 e incorpora dois jipes, o “Spirit” e a “Opportunity“, os quais ultrapassaram a missão planejada de apenas 90 dias solares marcianos.

Treze anos depois, apenas o Opportunity ainda está ativo e perambulando por Marte. Mas como isso pode ser, se os painéis solares do jipe-sonda são constantemente cobertos com poeira fina das ‘tempestades secas’ de Marte, as quais são rotineiras no planeta vermelho, de acordo com relatórios da NASA?

A explicação oficial do porquê do jipe-sonda ainda ser capaz de operar, é a seguinte:

O ‘evento de limpeza’ é um fenômeno pelo qual a poeira é removida dos painéis solares, particularmente aqueles em Marte, pela ação do vento.

O termo ‘evento de limpeza’ é usado em várias páginas da NASA. Geralmente, ele é usado em referência ao fato de que os ventos marcianos sopram a poeira para fora dos painéis solares das sondas em Marte, permitindo assim que elas continuem a gerar energia.

Agora, cá entre nós, pergunte a si mesmo: Você consegue imaginar que um carro deixado fora da garagem numa região árida e sem chuva por meses, teria toda a poeira trazida sobre ele pelo vento ser removida pelo… VENTO? Então, o vento que trás também leva, mas não trás mais?
Não faz sentido algum, não é mesmo? Muito provavelmente é algum outro fenômeno que está causando com que os painéis solares se mantenham limpos.

É claro, não estamos dizendo com isto que marcianos estejam limpando os painéis solares do jipe-sonda Opportunity, mas a explicação da NASA não parece ser muito plausível com a física, pelo menos a que se observa aqui na Terra, que segundo os cientistas, é universal.

Com isso nos faz pensar sobre aquela historia conspiratória de que o homem já esta em Marte a muito tempo e que essa foto abaixo poderia explicar o real motivo dos painéis solares dos robôs estarem limpos e os rovers estejam funcionando muito bem até hoje?

Suposta imagem de um astronauta mexendo em um dos rovers da NASA.
Veja o vídeo abaixo falando (em inglês) a respeito deste fenômeno: (ligue as legendas)

Fonte: OVNIHoje

Nova pirâmide e cúpula são encontradas em Marte

Mais objetos anômalos são encontrados em Marte, desta vez uma nova pirâmide e algo que se parece com uma cúpula. O site britânico Mirror.co.uk, publicou o seguinte artigo a respeito do achado:

Pesquisadores afirmam ter encontrado o que parece ser uma estrutura de pirâmide e uma bizarra de cúpula em Marte.

Um usuário do YouTube conhecido como ArtAlienTV publicou um vídeo on-line mostrando o que ele chamou de “anomalias” nas imagens de satélite que a NASA obteve da superfície do planeta.
Explicando os objetos, o canal do YouTube afirma que eles parecem ser “artificiais” e diz que as imagens não foram aprimoradas de forma algum.
O operador do canal escreveu:
Temos uma cúpula ou esfera clara de 50 pés (15,2 metros) em uma Cratera de Marte com grandes canos que saem da esquerda. Além disso, uma estrutura em forma de pirâmide triangular a cerca de 500 pés de distância (152 metros) que tem 120 pés de largura (36 metros).
Parece ser uma estrutura em forma de cúpula em Marte (Foto: ArtAlienTV – MARS ZOO / Youtube)
De acordo com ArtAlienTV, a descoberta foi feita pelo colega pesquisador William Benton.
Ele acrescentou:
Essas características parecem artificiais e são visíveis no Google Mars sem aprimoramentos.
As estruturas estão entre a região de Mawrth Vallis e a Cratera de Oyama, em uma área que foi relacionada para um jipe-sonda explorar por possíveis sinais de vida, antes que a Cratera Gale fosse finalmente escolhida.
Não é difícil de encontrar.
Mas as reivindicações dos chamados “buscadores de verdade” na busca de evidências de extraterrestres em Marte não são novidades.
Em março, internautas que examinavam as imagens do jipe-sonda Curiosity da NASA descobriram o que eles dizem ser “ossos extraterrestres“.
O jipe-sonda atualmente está explorando a superfície rochosa do planeta distante e disponibiliza todas as suas imagens livres para serem vistas no domínio público…
O artigo termina com a seguinte declaração:
Embora a NASA tenha ambições crescentes de visitar o planeta vermelho num futuro próximo, é certo que não há mais vida naquele planeta. (Fonte)
Provavelmente, por algum motivo, o Mirror se sentiu coagido a fazer tal declaração, pois a possibilidade de haver vida em Marte, pelo menos bacteriana, é altíssima. Fazer tal declaração, sem prova concreta, a favor ou ao contrário, não passa de palpite ou de recado mandado.
E, por falar em vida marciana, em 1975 a sonda Titã/Centauro da NASA tirou uma amostra do solo em Marte, e seu próprio cientista, Gilbert Levin, descobriu a presença de bactéria na amostra, misturando com um nutriente contendo carbono radioativo.

Após os resultados, a revista New Scientist escreveu:
A ideia era simples: se as bactérias estavam presentes no solo e metabolizaram o nutriente, elas emitiriam moléculas digeridas de dióxido de carbono. O experimento realmente detectou que dióxido de carbono foi liberado do solo, e que ele continha átomos de carbono radioativo. Carl Sagan até mesmo o congratulou por telefone. Porém, a festa foi estragada por um outro experimento. O Espectrômetro de Massa de Cromatografia de Gás (GCMS em inglês), estava procurando por moléculas baseadas em carbono e não encontrou nenhuma“.
A NASA assim declarou que os resultados de Levin não foram válidos.
Entretanto, até hoje alguns cientistas contestam esta declaração da NASA, inclusive o próprio cientista que fez a descoberta, Gilbert Levin. Também vale citar que vários meteoritos que supostamente vieram de Marte contêm indicação de vida microbiana, um deles sendo o famoso Allan Hills 84001, mas novamente a NASA contesta todas essas descobertas que foram feitas por cientistas de renome.

Mas voltando à questão dos objetos em Marte, hoje já são centenas de objetos anômalos que foram encontrados por pesquisadores on-line, com a NASA refutando a todos, como sendo meramente pareidolia (uma ilusão de óptica).  É certo que há muito exagero por parte das pessoas que procuram por objetos na superfície marciana, mas será que todos os supostos objetos, sem exceção, não passam de fruto da imaginação fértil dessas pessoas? Pela lei da probabilidade, pelo menos um pequeno percentual pode ser real.
Fonte: OVNIHoje

Suposto satélite alienígena é fotografado próximo da Estação Espacial Internacional


Aqueles que há muito estão procurando sinais de vida extraterrestre aplaudirão uma foto que teria sido obtida pela Estação Espacial Internacional. A foto pode ser o que prova de que eles estão certos, pois mostra um objeto estranho, que muitos disseram ser uma nave alienígena com o nome de Satélite Cavaleiro Negro.

A imagem capturada pela Estação Espacial Internacional não é clara, mas elas nunca são, porém há entusiastas argumentando que ela mostra claramente o formato do Satélite Cavaleiro Negro. Esta seria uma nave alienígena que é enigmática e que criou muita controvérsia nos últimos dois anos.

O Satélite Cavaleiro Negro é considerado o mais famoso dos objetos espaciais que estão orbitando o planeta Terra. O suposto satélite artificial tem sido motivo de muito interesse na mídia, e tem sido assim desde o final da década de 1950. Ele também se tornou um dos objetos espaciais mais falados. Primeiro sugeriu-se que ele poderia ter sido um satélite espião da Rússia e ele atraiu o interesse de milhões de pesquisadores de OVNI em todo o mundo.

O Cavaleiro Negro apareceu na mídia quando os jornais San Francisco Examiner e St. Louis Dispatch escreveram sobre o satélite em 14 de maio, enquanto a Time Magazine publicou uma história em 7 de março de 1960. Os ufólogos disseram que o satélite é estranho e tem vigiado a Terra por 13.000 anos.

O Satélite Cavaleiro Negro, juntamente com muitos outros objetos que as pessoas dizem ser alienígenas, foi visto por milhões de pessoas em todo o mundo desde que a ISS instalou seu vídeo ao vivo. No novo vídeo, argumentou-se que o enigmático veículo alienígena pode ser claramente visto, e que não é um cobertor térmico, como muitos céticos alegaram.

Olhando para a foto, o objeto parece estranho e não parece ser qualquer objeto que seja feito pelo homem. Uma coisa é a órbita do objeto, que é estranha, e outra é sua forma e o desenho, que é exatamente o que as pessoas esperariam que uma nave alienígena se pareça.
Os caçadores que procuram OVNIs disseram que o objeto não tem painéis solares em seu corpo principal e isso leva a muitas pessoas sugerirem que talvez esteja usando um sistema de propulsão desconhecido.

Gordon Cooper reportou um OVNI voando ao redor de sua cápsula em 1963
Embora a NASA geralmente não se abra a respeito de quaisquer avistamentos alegados de OVNIs, quando o faz a Agência Espacial Estadunidense tende a dizer que a maioria dos OVNIs suspeitos são sombras, lixo espacial ou luzes que vieram da Estação Espacial Internacional. Quando Gordon Cooper foi lançado no espaço em 1963, em sua órbita final, ele havia relatado um objeto verde brilhante diretamente na frente de sua cápsula à distância, o qual se moveu em direção a sua nave espacial.

Cooper reportou sobre o objeto para a estação de rastreamento Muchea, na Austrália, e eles captaram o OVNI em seu radar e o relataram como estando indo do leste a oeste. Embora a notícia tenha sido divulgada pela NBC, quando Cooper voltou para a Terra, eles não puderam perguntar a ele nada a respeito do OVNI. A explicação oficial que tinha sido dada sobre o avistamento de Cooper era que ele tinha sido submetido a dióxido de carbono em altos níveis e isso provocou alucinações.

OVNI passou perto do Sputnik 1, em 1957
Em 1957, um objeto desconhecido teria sido visto próximo do Sputnik 1. Os relatórios disseram que o OVNI estava em órbita polar na época. Nem os EUA, nem os russos, tinham a tecnologia para manter qualquer nave espacial na órbita polar. O primeiro satélite que entrou em órbita polar foi lançado em 1960.

As órbitas polares foram usadas para observar e mapear a Terra. Isto significa que o Cavaleiro Negro está na categoria do satélite observacional. No entanto, uma das maiores perguntas é: Quem colocou o Satélite Cavaleiro Negro em órbita, e por que eles o colocaram lá?


Fonte: OVNIHoje

Estruturas em Marte e suas conexões com a Grande Pirâmide e a Esfinge do Egito


De Marte até a Esfinge. Enigmática e transcendente, a Esfinge ainda é para os cientistas um mistério. As antigas misteriosas ciências associadas ao gnosticismo egípcio, astrologia, tarô ou alquimia conferem especial importância à Esfinge, associando-a ao guardião dos grandes mistérios, o dono das chaves ao conhecimento dos grandes mistérios do Universo. Analisando o simbolismo da Esfinge, descobrimos que ela também é o Touro, o Leão, a Águia e o Homem (como mostrado nos pictogramas egípcios). Os quatro símbolos colocados em torno do Trono de Deus representados na Revelação de João. Os mesmos símbolos representam os sinais fixos do zodíaco dispostos nas quatro direções do espaço (como os cantos das pirâmides).

As lendas egípcias dizem que, sob a pirâmide, há labirintos subterrâneos onde você pode se perder por meses e no centro das quais estão fontes escondidas de conhecimento.
Testes de radar detectaram anomalias na estrutura do solo sob a Esfinge indicando a presença de algumas cavidades no solo. Todas as anomalias pareciam estar ligadas por uma cavidade mais estreita
Túneis e câmaras

Mas ainda não há escavações sob a Esfinge ou sob a pirâmide. Como em todas as religiões do mundo, o simbolismo da Esfinge está intimamente relacionado com a luz, como toda a religião egípcia.
Quem construiu a Esfinge e para que propósito? Qual a idade dela? É contemporânea com as pirâmides no planalto de Gizé? O que simboliza a estrutura híbrida do seu leão humano? Acredita-se oficialmente que a esfinge tenha 4.500 anos e data do faraó Quéfren (2.500 a.C.). Descobertas e pesquisas nos últimos 20 anos contradizem as conclusões da egiptologia clássica. Novas ciências como geologia, arque-astrologia e astrobiologia lançaram uma nova luz sobre um mistério que durou vários milênios.

Hoje em dia, para elevar e posicionar precisamente um objeto de 200 toneladas, leva entre cinco e seis semanas de preparação, usando as gruas mais poderosas do mundo. Para colocar um segundo bloco de pedra de 200 toneladas, outras cinco semanas de preparação ainda seriam necessárias. Usando a tecnologia atual deve demorar em torno de 500 anos apenas para posicionar 5000 blocos desse tipo.

Robert Bauval e Graham Hancock desenvolveram outra teoria de que a Esfinge (considerando sua localização de acordo com  as pirâmides vizinhas e escritos egípcios antigos) é parte (se não o elemento mais importante) de um mapa astronômico que possui uma conexão estreita com a constelação Orion.

Eles concluíram que o melhor encaixe do mapa seria com a posição que as estrelas estavam em 10.500 a.C. Não há inscrição ou escrita que indique claramente a data da sua construção. Há apenas pistas que sustentam a hipótese de que a Esfinge teria existido antes das pirâmides. Embora o contexto arqueológico mostre que a realização da Esfinge é muito improvável de ser relacionada ao complexo de Quéfren.

Conexões com o Planeta Vermelho?
Em julho de 1976, a nave espacial Viking 1 sobrevoou o Planeta Vermelho com a missão de transmitir imagens para a Terra. Nessa ocasião, a NASA obteve milhares de fotografias, duas das quais se tornaram históricas. Elas mostravam o que parecia ser um rosto humano. Depois, havia imagens de … pirâmides.

O primeiro testemunho sobre Marte veio em fevereiro de 1972, quando a sonda Mariner 9 nos mostrou como esse planeta realmente é, enviando as primeiras imagens próximas: era rochoso, árido e … vermelho. Mas nada surpreendeu mais do que as imagens da superfície de Marte tomadas na região conhecida como Elysium Quadrangle, a 15 graus do equador marciano.

Pareciam-se como formas piramidais, duas maiores e três menores, com apenas três faces. A segunda imagem, capturada seis meses depois, em 7 de agosto, mostra novamente as mesmas formas. Supõe-se que a maior das pirâmides tenha uma base de 3 km de comprimento e 1 km de altura, muito maior do que as pirâmides do verão, do Egito ou do México. A partir desse momento, as estruturas descobertas tornaram-se evidências da civilização marciana.

Em 1976, uma nova missão espacial dos EUA, Viking, fotografou a superfície do Planeta Vermelho. As duas sondas, Viking 1 e Viking 2, estavam orbitando o planeta para enviar fotos e outros dados, mas elas também tinham sondas para descer e reunir informações sobre vestígios da vida. Este último objetivo aparentemente falhou, embora os resultados ainda sejam debatidos pelos cientistas.

A amortização do Viking 1 ocorreu no dia 20 de julho, marcando o 20º aniversário da primeira descida na Lua. A sonda transmitiu as primeiras imagens do solo marciano, e a do Viking 2 desceu em 3 de setembro e transmitiu dados por seis anos.

Entre as imagens estavam evidências da região conhecida como Cydonia Mensae, a 40 graus a norte do equador marciano, diametralmente oposta à área de Elysium. A foto mostrou uma estrutura semelhante a um rosto humano que olhava para o espaço. Esta estrutura, com quase 1,5 km de extensão, atraiu o interesse de todos naquele momento e ainda continua provocando um acalorado debate. No entanto, as duas fotografias relevantes foram arquivadas juntamente com o resto delas, e logo após esquecidas, até serem descobertas novamente e analisadas com métodos científicos modernos.

O rosto foi então comparado imediatamente com a Esfinge egípcia, e as estruturas circundantes, com os monumentos de Gizé, seguindo um padrão de escala cósmica. Havia também coisas de grande importância, inclusive uma estrutura de pirâmide de cinco lados, a 15 km ao sul de Chip, com 2,5 km de comprimento e 1,6 km de largura. Isso se tornou conhecido como a Pirâmide “D & M”, em homenagem aos dois estudiosos que aprofundaram o mistério, DiPietro e Molenaar.
NASA Viking 1, quadro 35A72

A região de Cydonia está no hemisfério norte de Marte, e alguns especialistas acreditam que lá já houve um oceano.

Uma dessas primeiras imagens, feitas em 25 de julho de 1976, mostrou uma estranha forma de relevo que parecia muito com um rosto humano.

A NASA revelou a imagem para todos verem. A legenda fala sobre uma “enorme formação rochosa … que se assemelha a uma cabeça humana … formada por sombras dando a ilusão de olhos, nariz e boca”.  Os autores argumentaram que seria uma boa maneira de envolver o público e atrair a atenção para Marte.

Para desmantelar a teoria daqueles que afirmam que existem pirâmides e outras formas de relevo em Marte que realmente seriam a criação de extraterrestres, Stuart Robbins fez um vídeo apresentando os argumentos matemáticos contra eles:.
As famosas “anomalias de Marte”, formações que se assemelham a um rosto humano ou algumas pirâmides, são formas de relevo simples e não possuem a estrutura clara e organizada de edifícios especialmente projetados.
Richard Hoagland e outros adeptos da teoria de que se tratem de estruturas artificiais argumentaram que as formações teriam sido feitas por alienígenas porque tinham algumas formas geométricas.
De acordo com Robbins, tudo é apenas uma ilusão, e as novas imagens da região de Cydonia, onde essas formas de relevo estão, mostram que o relevo é natural, nada construído por qualquer civilização extraterrestre.

A última observação similar do início deste ano, na qual os teóricos da conspiração acreditam, foi uma resposta sobre uma das Grandes Pirâmides do Egito em Marte.
Invocando “projeto e forma quase perfeita”, os ovniólogos argumentaram que a “pirâmide” ainda é prova de que uma antiga civilização já vivia no planeta vermelho. Embora acredita-se que a pirâmide tenha “o tamanho de um carro”, os pesquisadores dizem que poderia ser apenas a ponta de uma estrutura muito maior e enterrada.

A NASA não confirmou a história, mas isso não impediu os teóricos da conspiração de argumentarem que isso ainda é uma prova do “programa espacial secreto”.

Fonte: OVNIHoje

Custom Search