sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Rússia divulga imagens secretas de Vênus que provam a existência de vida extraterrestre...


O Instituto de Pesquisa Espacial da Academia Russa de Ciências publicou uma série de fotografias tiradas pela sonda Venera, que supostamente mostram evidências de organismos vivos em Vênus, um dos lugares mais inóspitos para os seres humanos no Sistema Solar. Vênus, o segundo planeta menos distante do Sol, é o planeta mais parecido com a Terra em termos de tamanho e estrutura no Sistema Solar. Porém, em relação a sua superfície, não é nada parecido.

Vênus é o planeta mais quente do Sistema Solar; isso é devido principalmente a sua atmosfera, que contém 97 por cento de dióxido de carbono, um gás de efeito estufa que prende o calor. A temperatura constante em Vênus é de 480 graus Celsius, uma temperatura suficientemente quente para derreter chumbo; é ainda mais quente que o planeta mais próximo do Sol, Mercúrio.



De acordo com a explicação de Leonid Ksanfomaliti, doutor em ciências físicas e matemáticas do Instituto de Investigação Espacial, as imagens obtidas há 30 anos revelam o movimento de objetos muito estranhos na superfície de Vênus. Porém, a NASA se encarregou rapidamente de desacreditar a descoberta. O disco que se vê em movimento na superfície é uma tampa da lente, e a criatura em forma de escorpião é, na verdade, o “ruído” de uma foto de segunda mão que não está presente na imagem original.


Ksanfomaliti acredita que, nas imagens, uma criatura em forma de escorpião, um disco e uma aba preta se movem diante da câmera incorporada na sonda Venera 13. Segundo os informes de uma agência de notícias russa, Ksanfomaliti explicou em um artigo da revista Investigação do Sistema Solar: “Todos eles surgem do nada, flutuam e desaparecem”



Leonid continua: “O que aconteceria se nos esquecêssemos das teorias atuais que tratam da impossibilidade da existência de vida em Vênus? Vamos nos concentrar nestes objetos tão incríveis que possuem características tão estranhas, poderia ser real”.
Outros cientistas americanos não parecem estar de acordo com Ksanfomaliti. Ted Stryk analisou a foto da NASA e comentou que o mais provável é que o disco de que Ksanfomaliti está falando pode ter vindo da própria nave espacial.


“A sonda Venera 13 tinha duas câmeras, uma na frente e outra atrás. A imagem de uma mostra a tampa da lente da câmara frontal e a outra mostra a tampa da lente da câmera traseira, nenhuma tampa de lente se movia”, comentou na rede local “Pequenos mistérios da vida”.
 

A NASA disse que não há como um ser vivo sobreviver em Vênus nos dias de hoje. Porém, os cientistas não descartam que alguma vez, num passado distante, Vênus possa ter tido vida. Alguns cientistas espaciais afirmaram que é possível que em um determinado momento o planeta poderia ter tido oceanos gigantes e, possivelmente, vida; tudo isso antes que o “efeito estufa” criasse as temperaturas que o planeta possui atualmente.


“As teorias atuais sugerem que Vênus e a Terra podem ter passado pelo mesmo processo no que se refere ao desenvolvimento do planeta e da vida. Poderia ter havido uma grande quantidade de água em Vênus e poderia ter havido uma grande quantidade de dióxido de carbono na Terra”, afirmou o professor Andrew Ingersoll, do Caltech, em um artigo publicado sobre Astrobiologia em 2004. Também foi discutida a possibilidade de poder abrigar vida nas condições atuais...

Realmente, é um tema bastante polêmico e até os especialistas que mais se aprofundaram no assunto não conseguem entrar em acordo. O problema com a ciência e com os eruditos que se dedicam à busca pela vida extraterrestre é que a humanidade acredita que para existir vida em outra parte do sistema solar ou do universo, esse suposto planeta deve ter clima e condições similares aos da Terra. Se estivéssemos falando de seres semelhantes a nós, teria que ser assim, mas e se forem outros tipos de seres?

O que acontece se, em outro lugar, talvez Vênus, houver seres vivos que precisem de altas temperaturas para sobreviver? Talvez existam seres que possam respirar dióxido de carbono e não precisem consumir água ou oxigênio. Se começamos a teorizar sobre a existência de vida extraterrestre, é necessário mudarmos as condições e padrões de vida que temos como humanos. 
 

3 comentários:

  1. se um peixe fosse um ser racional, pelas atuais condições dele, ele diria ser impossível ter vidá fora do oceano.

    ResponderExcluir
  2. Eu só digo que a vida para nós é como conhecemos e sobre as nossas leis, quem garante que não existem seres que não precisem de oxigênio ou que não sejam baseados em carbono??? Uma espécie que precise de uma atmosfera tóxica e alta ou baixa temperatura???

    ResponderExcluir