loading...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Astronauta russo é o primeiro a Viajar no Tempo


O cosmonauta russo Sergei Krikalev, um dos maiores veteranos do espaço.
 Viagem no tempo é um fato ou é apenas ficção científica? Graças a dilatação do tempo e da teoria da relatividade de Einstein, sabemos que pode viajar no tempo é realmente possível. Se você somar o tempo e velocidade acumulada que o astronauta Sergei Krivalev viajou no espaço – mais do que qualquer ser humano com um tempo total gasto em órbita de 803 dias 9 horas e 39 minutos – ele realmente viajou no tempo para 0,02 segundos no futuro.

Esse fato foi comprovado graças á um relógio atômico que foi dado ao astronauta sincronizado com outro relógio que ficou aqui na terra, e quando retornou os marcadores não batiam, tendo 0,02 segundo de antecipação comparado ou que ficou na terra. Isso torna Sergei Krivalev o primeiro homem que viajou no tempo cientificamente comprovado, como conta o site Universe Today.


Tempo de dilatação é causado pelas diferenças na gravidade ou velocidade relativa – cada um dos quais afeta o tempo de maneiras diferentes. Quando os astronautas e satélites orbitam a Terra, eles estão muito mais longe do centro do planeta comparada com a de pessoas na terra – e assim eles sofrem menos dilatação do tempo gravitacional. Isso significa que o tempo dos astronautas irá correr um pouco mais rápido, e quando eles retornam para a Terra, eles teriam que “voltar” ao passado em comparação com quando eles estavam no espaço.
Mas a dilatação do tempo, devido à velocidade significa que os relógios para os astronautas no espaço andam um pouco mais lento em relação às pessoas que estão na terra. Quando você voltar para a Terra, você terá ido para o futuro.
O efeito da dilatação do tempo devido à gravidade, no entanto, “é muito pequeno porque a gravidade da Terra é bastante fraca”, diz o professor Colin Stuart  “e assim a dilatação do tempo devido à sua velocidade é pouco relevante, fazendo com que por mais que os astronautas quisessem ficar no espaço, não seria muito animador”. 

Mas com a nossa tecnologia atual limitando as velocidades dos astronautas, essas diferenças são minúsculas: após 6 meses na ISS, um astronauta envelheceu menos do que aqueles que estavam na Terra, mas apenas por cerca de 0,007 segundos. Os efeitos seriam maiores se pudéssemos manter a ISS em órbita da Terra perto da velocidade da luz (cerca de 300.000 km / s), em vez da velocidade real de cerca de 7,7 km / s.
Este efeito foi comprovado por satélites GPS, que a Terra órbita a cerca de 14.000 km / h (9,000 mph) que corta vários microssegundos de seus relógios diariamente, em relação aos relógios na Terra.

Fonte: Conexão Alien

1 comentários:

  1. O título da notícia é bem sensacionalista se comparado ao que de fato é.
    Há alguns anos também foi testado da mesma maneira com um avião e nem por isso dizem que o piloto do avião viajou no tempo.

    ResponderExcluir

Custom Search